updated 1:16 AM BRT, Jun 25, 2016
Sexta-Feira, 24 de Junho de 2016

Vazamento em P-37, na Bacia de Campos, é mais um exemplo da irresponsabilidade da Petrobrás

Nesta terça-feira, 10, dia em que os trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás completaram o décimo dia da greve nacional da categoria, houve um vazamento de óleo na plataforma P-37, na Bacia de Campos.

O acidente ambiental foi causado pela irresponsabilidade da Petrobrás, que ao invés de respeitar o direito de greve dos trabalhadores, envia equipes de contingências às suas unidades, integradas por profissionais não capacitados para operar as plataformas com segurança.

Desde o início da greve a FUP e seus sindicatos vem denunciando e alertando ao Ministério Público do Trabalho, à categoria e à sociedade sobre os riscos que os trabalhadores e o meio ambiente correm diante de tal irresponsabilidade da maior empresa de energia do país, que em suas propagandas, se apresenta como uma companhia segura e comprometida com as questões ambientalmente corretas, mas no dia a dia, não mede consequências quando a questão é priorizar somente a produção.

O Sindipetro Norte Fluminense, que representa os trabalhadores da Bacia de Campos, já está acompanhando a situação da P-37, que foi totalmente paralisada pelos petroleiros que aderiram à greve – o prejuízo diário é de 40.000 mil barris de petróleo.  Até o momento, o sindicato não tem informações precisas sobre o vazamento, já que não há grevistas a bordo da plataforma. O caso, no entanto, foi admitido pela Petrobrás em contato feito com a empresa pelo NF.  Segundo os trabalhadores o óleo se espalhou pelo convés e atingiu o mar. Já a empresa diz que o vazamento não foi no "top side".

A insegurança assola as plataformas operadas pelos "pelegos". Em razão disso, o sindicato orientou os grevistas destas unidades a desembarcarem, para que não fiquem expostos à irresponsabilidade da empresa.

[Foto: Plataforma P-37 - Divulgação / Petrobras]

 Fonte: FUP com informações do Sindipetro NF