updated 9:40 PM BRT, Sep 25, 2017
Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017

FUP alerta ANP que refinarias estão à beira de uma tragédia anunciada

Em reunião nesta terça-feira, 15, com a Superintendência de Produção de Combustíveis da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a FUP tornou a cobrar uma atuação efetiva do órgão para garantir a segurança dos trabalhadores do Sistema Petrobrás, que estão na iminência de um grande acidente industrial nas refinarias. Várias denúncias já foram protocoladas e apresentadas à ANP, relatando os graves riscos a que os petroleiros estão expostos, em função das reduções de efetivos decorrentes dos últimos PIDVs (Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário).

O Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional (SGSO), instituído pela Agência em 2007, tem sido reiteradamente descumprido pelos gestores da Petrobrás, fato que se agravou nos últimos meses, com a saída em massa de trabalhadores que aderiram ao PIDV e a reestruturação de efetivos que a empresa vem impondo às refinarias. Os dirigentes sindicais denunciaram à ANP que os estudos de efetivos implementados pela Petrobrás foram feitos unilateralmente pela empresa, sem envolver os sindicatos e sem análises de riscos. Os petroleiros alertaram que as medições de tempos de rotinas de trabalho utilizadas no estudo são fictícias, pois, além de não atenderem a realidade das refinarias, foram feitas como uma espécie de conta de chegada, para readequar os efetivos que foram drasticamente reduzidos pelos PIDVs.

A FUP ressaltou que as refinarias estão se transformando em fábricas de acidentes e alertou para a possibilidade de uma tragédia anunciada, como aconteceu na década de 80 na cidade de Bhopal, na Índia, onde um vazamento de gás na fábrica de agrotóxicos Union Carbide matou cerca de 15 mil pessoas (foto) e deixou mais de 150 mil intoxicados durante anos. Assim como acontece na Petrobrás, o vazamento de Bhopal ocorreu na sequência de uma série de acidentes e incidentes, causados pela redução dos efetivos de trabalhadores a menos da metade. Na sala de controle da fábrica, por exemplo, apenas um operário monitorava mais de 70 painéis.

A Superintendência de Produção de Combustíveis da ANP informou que está atenta às denúncias da FUP, que continuará realizando as inspeções de fiscalização nas unidades da Petrobrás e solicitou que as próximas denúncias sejam encaminhadas com o máximo de detalhes possível. Os dirigentes sindicais cobraram ações contundentes para que os petroleiros tenham seu direito à vida garantido, com condições seguras de trabalho.

FUP

Mídia