updated 9:19 PM BRST, Dec 12, 2017
Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017

Sindipetro Bahia contesta o O&M, em audiência na justiça

O coordenador do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar e representantes da assessoria jurídica do sindicato, participaram, na manhã dessa terça-feira (21), de audiência na justiça do trabalho sobre o processo do sindicato contra os estudos de O&M (Organização e Método de Trabalho), realizado nas unidades do Sistema Petrobrás, na Bahia.

Na audiência, ficou clara a intenção da empresa em manter o procedimento de redução de custos, envolvendo outros atores nessa ação, a exemplo da própria União, que entra como assistente da Petrobrás. “É o governo golpista e ilegítimo ajudando a empresa em um processo de redução de efetivo, que vai propiciar ou facilitar a privatização da empresa”, denuncia Deyvid.

A  assessoria jurídica do sindicato contestou os argumentos apresentados pela empresa e solicitou da justiça que seja feita uma pericia técnica “para que tennhamos a oportunidade de desmascarar as alterações implementadas pela companhia na redução de contingente, que está sendo realizada pela Petrobrás, colocando os trabalhadores sob o risco de acidentes graves, que estão na iminência de acontecer nas refinarias e unidades operacionais da Petrobrás, assim como já estão acontecendo  na REDUC e na REPLAN”.

Além disto, os advogados solicitaram, e a juíza deferiu, a notificação do Ministério Pùblico do Trabalho, para que tenha conhecimento, e se houver interesse, participe do processo.

De acordo com Deyvid, o Sindipetro Bahia já manteve contato com a doutora Leda Leal, pesquisadora aposentada da Fundacentro e da USP, que vai assessorar a entidade sindical nesse processo contestando tecnicamente o O&M, para que tenhamos um bom resultado nessa ação. A doutora Leda é especialista em ergonomia e já participou de vários estudos relacionados a efetivo e unidades operacionais. A segunda audiência está marcada para o dia 06/02.

Fonte: Sindipetro-BA

 

Mídia