updated 11:14 PM BRT, Aug 15, 2017
Quarta-Feira, 16 de Agosto de 2017

Gestão de PCH-1 coloca trabalhador com apito em lugar de alarme

Colocar um trabalhador a postos para apitar em caso de emergência foi a "solução" encontrada pela gestão da Petrobrás na plataforma PCH-1, na Bacia de Campos, para enfrentar uma falha no sistema de alarme. O Sindipetro-NF tem recebido com cada vez mais frequência relatos dos trabalhadores sobre problemas nos sistemas de alarmes das áreas operacionais.

"Dentre as inúmeras denúncias que chegam ao Sindipetro-NF, recentemente os trabalhadores de PCH-1 informaram que em alguns locais dessa unidade, incluindo um conjunto de camarotes, o sistema de alarme sonoro não está funcionando. Como medida mitigadora, a gestão da empresa colocou um trabalhador com um apito para sinalizar todas as vezes que acontecer uma emergência", explica o coordenador do Departamento de Saúde do sindicato, Sérgio Borges.

O Sindipetro-NF entrou em contato com a empresa e foi informado de que houve uma falha em um dos cabos de alimentação do sistema de alarme de PCH-1. Segundo a gestão de SMS da companhia, o reparo deve ser feito nesta sexta, 11.

"Um defeito qualquer em um equipamento nem sempre é considerado um problema crônico. Porém, o número de falhas nos sistemas operacionais e de segurança da empresa tem aumentado consideravelmente. O sucateamento promovido pela dupla golpista Mishell/Parente é proposital, com o objetivo de fragilizar a empresa internamente e justificar sua privatização", denuncia Borges.

Para ele, "a única saída é a mobilização de todos os trabalhadores contra esse governo que insiste em dilapidar o patrimônio público, entregar nossas riquezas, vender a Petrobrás e de quebra matar, mutilar ou adoecer os trabalhadores".

A diretoria do sindicato continua a acompanhar o caso e cobra da Petrobrás a solução do problema. A entidade solicita aos trabalhadores que tiverem mais informações sobre essa ocorrência, ou qualquer outra, que entrem em contato por Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte: Sindipetro-NF

Mídia