updated 11:14 PM BRT, Aug 15, 2017
Quarta-Feira, 16 de Agosto de 2017

Na surdina, Parente leiloa sondas da Petrobrás a preço de banana

Em texto publicado em seu blog nesta quinta-feira, 11, o ex-representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás, Deyvid Bacelar, denuncia mais uma ação de Pedro Parente para desmantelamento da Petrobrás: a realização na surdina de um leilão internacional para venda de seis sondas da empresa. A informação que ele obteve é de que o leilão ocorreu ontem, dia 10 de maio, às 14 horas no Edifício Senado, no Rio de Janeiro. 

"Muitos petroleiros e petroleiras foram pegos de surpresa e o sentimento despertado é de indignação", declarou Deyvid. 

As sondas leiloadas foram:

P-10 vendida em leilão por US$ 900.000,00;
P-16 vendida em leilão por US$ 920.000,00;
P-17 vendida em leilão por US$ 1.000.000,00;
P-23 vendida em leilão por US$ 1.300.000,00;
P-59 ofertada lance único de US$ 30.000.000,00. Passível de confirmação se será aceito;
P-60 ofertada lance único de US$ 30.000.000,00. Passível de confirmação se será aceito;

As sondas P-59 e P-60 são as mais novas e também as mais valiosas. No entanto, receberam ofertas que não cobrem sequer 10% do que foi investido pela Petrobras na construção  das unidades.  Elas foram as primeiras sondas autoelevatórias construídas no Brasil, após décadas de paralisia da indústria naval brasileira e custaram US$ 360 milhões cada uma. 

"A Petrobrás gasta milhões com flotéis e aluguéis de sondas terceirizadas. Por que não utilizar essas sondas que estão sendo vendidas a preço de banana? Está claro que o que interessa de fato a essa gestão é beneficiar os investidores estrangeiros", afirma o coordenador da FUP, José Maria Rangel. 

Em nota divulgada no dia 17 de março, a FUP já alertava para os impactos deste desmonte. "Além de dilapidar o patrimônio da Petrobrás, a atual diretoria está comprometendo o expertise da empresa em uma atividade onde sempre foi referência.  O setor de perfuração e sondagem está sendo totalmente desmobilizado, assim como outras áreas estratégicas da companhia. Um desmonte que vem sendo implementado ao longo dos últimos dois anos, com a hibernação das sondas que agora serão doadas ao mercado. Tudo isso com a anuência da diretora de Exploração e Produção, Solange Guedes, funcionária de carreira da Petrobrás, que chegou ao cargo no governo do PT, através de um projeto que salvou a empresa do limbo da privatização e do sucateamento herdado do PSDB", denunciou a Federação na época.

Acesse aqui a nota

FUP

 

Mídia