updated 11:14 PM BRT, Aug 15, 2017
Quarta-Feira, 16 de Agosto de 2017

Petroleiros aprovam greve nas refinarias contra desmonte de Parente

[Última atualização 19/06]

(Assembleia na Reduc)

Os trabalhadores da Petrobrás que atuam na área de refino aprovaram greve por tempo indeterminado contra a redução dos efetivos na operação. A greve, cuja data será indicada pela FUP, foi aprovada em todas as bases de refino da Federação: Refap (RS), Replan (Paulínia/SP), Reduc (Duque de Caxias/RJ), Reman (AM), Repar (PR), Recap (SP), Abreu e Lima (PE), Rlam (BA), Regap (MG), Lubnor (CE), Fafen-PR e Fafen-BA.

(Assembleia na Replan)

Na segunda-feira, dia 19, os petroleiros fazem um esquenta da greve, com uma grande mobilização nacional por condições seguras de trabalho, envolvendo toda a categoria, em todo o Sistema Petrobrás. A redução de efetivos é reflexo direto do desmonte que a empresa vem sofrendo nos últimos anos e que foi potencializado pela gestão Pedro Parente, com a privatização de unidades e um plano de negócios que reduz drasticamente o papel da companhia no setor de energia.

O resultado dessa política é o aumento da terceirização e a precarização das condições de trabalho. O acidente na última sexta-feira, 09, com o navio sonda da Odebrecht, fretado pela Petrobrás, é um exemplo trágico do desmonte da empresa, cujo setor de sondagem e perfuração está hoje nas mãos do setor privado. Três trabalhadores morreram, todos terceirizados. Apenas um dos feridos sobreviveu. Só com luta e organização, a categoria vai conseguir barrar o desmonte da Petrobrás, preservar os empregos e garantir respeito à vida.

Leia também:

Liminar conquistada pelo Sindipetro Caxias suspende cortes nos efetivos da Reduc

 

FUP

Mídia