Campanha na Petrobrás: Sindicatos e FUP indicam aprovação da nova proposta conquistada

Sexta, 17 Setembro 2010 21:00
Os sindicatos, através do Conselho Deliberativo da FUP, avaliaram como vitoriosa a nova proposta que os petroleiros em estado de greve ...

Imprensa da FUP

Os sindicatos, através do Conselho Deliberativo da FUP, avaliaram como vitoriosa a nova proposta que os petroleiros em estado de greve arrancaram da Petrobrás, após uma semana de mobilizações, que culminou com uma paralisação de advertência no dia 03 de setembro. Reunidos sábado, 18, no Rio de Janeiro, os representantes dos sindicatos e a direção executiva da FUP deliberaram pelo indicativo de aceitação da proposta. Os sindicatos iniciam as assembléias neste domingo. Se a proposta for aprovada, será a primeira vez na história, que os petroleiros fecharão um acordo salarial em setembro, data base da categoria. A proposta também é extensiva a todos os petroleiros da Transpetro, termoelétricas e TBG, subsidiária que tem mais de 40% do seu capital privado.

Ganho real é o maior da história da categoria

A nova proposta arrancada da Petrobrás eleva de 6,4% para 9,36% o reajuste sobre a RMNR, o que representa um ganho real entre 3,6% e 4,7%. É o maior reajuste salarial já conquistado pelos petroleiros! Um ganho real acima da média da maioria das categorias.

Programa Jovem Universitário dobrará o reembolso

A nova proposta conquistada pelos petroleiros arrancou avanços importantes da Petrobrás em relação ao reembolso das mensalidades com o ensino superior. Os trabalhadores beneficiados pelo Programa Jovem Universitário dobrarão o percentual de reembolso, que saltará de 30% para 60%. As tabelas do benefício também serão reajustadas. O maior valor regional passará de R$ 540,00 para R$ 750,00. A FUP continuará cobrando que a Petrobrás unifique os valores de todas as tabelas dos benefícios educacionais.

Piso da gratificação beneficiará 15 mil petroleiros

A gratificação extraordinária de 80% sobre uma remuneração proposta anteriormente pela Petrobrás passa a ser integral, 100% de uma remuneração, garantindo um piso de R$ 6.000,00, que beneficiará diretamente 15 mil trabalhadores, principalmente os companheiros que trabalham em horário administrativo.

 Hospedagem para os trabalhadores do E&P em treinamento

A nova proposta conquistada pela categoria também garantiu que a Petrobrás passe a pagar a hospedagem dos trabalhadores de plataformas quando estiverem em treinamento fora de seus domicílios.

Proteção dos direitos dos terceirizados

A luta incessante da FUP por condições seguras e decentes de trabalho para os terceirizados tem arrancado avanços importantes nas negociações coletivas com a Petrobrás. Seja nos fóruns de negociação com a empresa, nas plenárias e congressos da categoria ou nas mobilizações, a agenda de luta e a pauta de reivindicações dos trabalhadores terceirizados estão sempre presentes. Não foi diferente nesta campanha salarial, cujo um dos principais motes de luta foi a busca por um mecanismo contratual de proteção dos direitos dos companheiros terceirizados. As mobilizações da categoria aliadas à pressão da FUP na mesa de negociação fizeram a Petrobrás pela primeira vez reconhecer que sua política de contratação precisa ser revista e aprimorada.  Após seguidos embates com a empresa no processo de negociação, a FUP garantiu um primeiro passo importante no sentido de impedir os calotes das empresas contratadas e proteger os direitos trabalhistas dos companheiros terceirizados. A nova proposta arrancada garantiu que a Petrobrás exclua do seu processo de licitação as empresas que tenham praticado calotes contra os trabalhadores, estendendo a sanção também para os sócios.  

Responsabilidade social e SMS

A categoria conquistou nesta campanha salarial dois avanços importantes que extrapolam as reivindicações econômicas. A Petrobrás concordou em realizar um grande debate entre os seus gestores e as representações sindicais sobre responsabilidade social e as práticas e política da empresa relacionados ao SMS.  Estes dois fóruns serão também um espaço fundamental para buscar avanços em relação à proteção dos direitos dos trabalhadores terceirizados, uma luta que continuará pautando a FUP e seus sindicatos em todos os debates e negociações com a Petrobrás e empresas do setor privado.

 

 

 

 


Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram