Enquanto durar represália da Petrobrás, Sindipetro NF não realiza assembléias

Segunda, 20 Setembro 2010 21:00
Diretores do Sindipetro NF são barrados novamente no aeroporto de Macaé...

Sindipetro NF

Sindipetro NF decide que só vai submeter indicativo de aprovação da proposta de Acordo para a categoria quando empresa normalizar o acesso dos sindicalistas aos saguões dos aeroportos da região. É um ataque antissindical que não pode ser admitido, pois abre um precedente perigoso à organização dos trabalhadores

Leia abaixo a nota oficial do sindicato:

Em reunião na tarde desta segunda-feira, 20, o Sindipetro-NF decidiu não abrir na região o prazo de assembleias para avaliação do indicativo de aceitação da proposta apresentada pela Petrobrás na quarta, 15, enquanto durar a proibição da empresa para que os diretores do sindicato possam conversar com a categoria nos saguões dos aeroportos da região. Algo importante inclusive para esclarecer à categoria sobre o indicativo de aprovação da proposta da empresa.

O sindicato entende que esta é uma premissa fundamental para os trabalhadores, já que diz respeito a um direito essencial de organização. As assembleias serão realizadas assim que a situação for normalizada.
 
 Os petroleiros não vão aceitar que a empresa, depois de quase três décadas de uma prática democrática, use a proibição para retaliar os sindicalistas após as sucessivas denúncias sobre as condições de insegurança na Bacia de Campos.
 
Antes mesmo da fundação do Sindipetro-NF, em 1996, as conversas dos militantes sindicais e dos diretores do Sindipetro-RJ, entidade que representava a base da região, já se davam nos saguões dos aeroportos, sem que, nem mesmo nos nefastos anos neoliberais de FHC, o costume fosse prejudicado por alguma determinação da companhia.
 
O Sindipetro-NF mantém o seu entendimento de que saguões de aeroportos são áreas públicas e não podem, portanto, ser passíveis deste tipo de intervenção da empresa, que infringe os direitos de ir e vir e de liberdade de expressão e de organização sindical.
 
 Não há necessidade econômica que faça a categoria aceitar uma tirania desta, justamente por entender que este é um precedente perigoso que se abre para que novos ataques e assédios aos trabalhadores se dêem.
 
Nesta semana, em Macaé, chegaram ao requinte autoritário de colocar um funcionário, com uma lista das pessoas programadas para embarque naquele dia em mãos, para controlar o acesso ao saguão, gerando fila e transtornos nos horários de maior movimento.
 
Ainda em Macaé, é inadmissível que até mesmo uma nova área de saguão, construída justamente após muita pressão sindical, esteja agora interditada para os sindicalistas. Antes, os trabalhadores se amontoavam pelas calçadas e o sindicato denunciou o caos provocado pela superlotação do local. Também no Farol e em Cabo Frio, os saguões são conquistas de conforto e qualidade de vida para à categoria, fruto da luta sindical.
 
Os petroleiros devem demonstrar, mais uma vez, unidade e força para lutar contra este gesto de autoritarismo da Petrobrás, e manter firme a organização para denunciar a insegurança e defender a instituição sindical construída em tantos anos de brioso movimento.
Saudações sindicais
 
Diretoria Executiva do Sindipetro-NF
Macaé, 20 de Setembro de 2010

Doze diretores do sindicato foram novamente barrados na entrada do saguão do aeroporto de Macaé, nesta terça-feira, 21

No início da manhã desta terça, 21, doze diretores do sindicato foram novamente barrados na entrada do saguão do aeroporto de Macaé. Os sindicalistas fecharam a entrada de passageiros e a Petrobras chamou a polícia.

Desde a quinta, 9, a Petrobrás vem retaliando o movimento sindical nos saguões dos aeroportos, impedindo que os diretores conversem com os trabalhadores. A atitude é uma tentativa de calar as denuncias de insegurança que o sindicato fez na mídia nacional e que culminou com a interdição da P-33.

A atividade dos sindicalistas provocou tumulto na entrada dos passageiros, porém, os trabalhadores apoiaram a mobilização. O objetivo é manter o direito do sindicato de comunicação com os trabalhadores para conscientizar sobre segurança e discutir a campanha reivindicatória.

Depois de muita confusão e da disposição dos diretores de manter o bloqueio mesmo depois da chegada da polícia a empresa liberou o acesso ao saguão. Nesse momento os sindicalistas se preparam para realizar a conversa com os trabalhadores dentro do saguão do aeroporto.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram