Mobilização em defesa da Petrobrás cresce em todo o país

Quinta, 26 Fevereiro 2015 14:11

Estão crescendo no país as manifestações de apoio à Petrobras vinculadas à defesa da soberania nacional. Após o ato de terça-feira (24) na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, com a presença de lideranças expressivas da sociedade civil, o secretário de Relações Internacionais da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antonio de Moraes, destaca a expansão do movimento. “Começa a tomar corpo uma consciência maior de que é fundamental não permitirmos a paralisação da Petrobras, como garantia da soberania do país e a importância da empresa para o desenvolvimento brasileiro.”

O dirigente ressalta várias iniciativas e mobilizações que começam a ser programadas e realizadas em todo o país. Uma delas é a que o Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro, promoveu no fim da tarde e início da noite de hoje (25). Foi a primeira reunião formal da Aliança pelo Brasil em Defesa da Soberania Nacional. O ato promovido pela entidade mostra que as mobilizações já ultrapassam a esfera dos petroleiros e trabalhadores.

O evento, chamado “Aliança pelo Brasil em defesa da engenharia e da soberania nacionais”, contou com representantes da CUT, União Nacional dos Estudantes, Sindicato dos Petroleiros do RJ, além do ex-ministro de Ciência e Tecnologia Roberto Amaral e o ex-senador Saturnino Braga. O presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, Wadih Damous, representou a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Participaram do ato Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Instituto Brasileiro de Estudos Políticos (Ibep), Centro Celso Furtado, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) e Instituto Alberto Luiz Coimbra da Universidade Federal do Rio de Janeiro, entre outros.

As entidades e seus representantes vão aprovar um manifesto que será encaminhado ao governo federal e programar uma série de atos públicos em todo o país.

Em texto divulgado em sua página na internet, o Clube de Engenharia diz que “a Aliança será um passo decisivo para o caminho de uma grande mobilização nacional”. Lembrando que os esforços tecnológicos da Petrobras proporcionaram avanços como a descoberta do pré-sal, em 2006, do qual o Brasil já retira cerca de 700 mil barris diários de petróleo, e que a companhia é responsável por uma cadeia produtiva da indústria naval, “induzindo o desenvolvimento tecnológico da empresa privada brasileira”, o texto conclui: “tudo isso está em risco”.

O cerco midiático-judiciário contra a Petrobras, segundo dirigentes sindicais e economistas, podem paralisar o país.

Ontem, em ato na Associação Brasileira de Imprensa, o ex-presidente Lula afirmou: “Querem punir a Petrobras e criminalizar a política. A gente não pode jogar a Petrobras fora por causa de meia dúzia de pessoas em uma família de 86 mil trabalhadores”. Para Lula, "a elite não se conforma com a ascensão social dos pobres que está acontecendo neste país".

Em Brasília, também hoje, foi realizado outro ato em defesa da Petrobras por petroleiros e sindicalistas.

Amanhã (26), a CUT de Alagoas promove encontro em Maceió, com a presença de João Antonio de Moraes, que participará de debate.

No dia 13 de março acontecem atos em todas as capitais do país.

Última modificação em Quinta, 26 Fevereiro 2015 14:19

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram