Lula na 5ª Plenafup: "A maior riqueza da Petrobrás são os seus trabalhadores"

Sexta, 03 Julho 2015 16:17

 

Os petroleiros que participam da 5ª Plenafup, em Guararema (SP), receberam nesta sexta-feira (03) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que durante três horas e meia falou para a categoria sobre a importância de se defender a Petrobrás, as conquistas sociais, a soberania e a democracia. Sua intervenção foi acompanhada pelos trabalhadores em todo o país, pois a plenária está sendo transmitida ao vivo pela internet.  Ele afirmou que a maior riqueza da Petrobrás são os seus trabalhadores, mas destacou que a luta em defesa da empresa "não é só dos petroleiros, é de quem tem responsabilidade com a soberania desse país".

 

Lula fez questão de destacar o seu comprometimento com a estatal: "Se quiserem um brasileiro com orgulho da Petrobras, estou aqui", declarou, criticando os ataques da mídia à empresa. "Se alguém sacaneou ou roubou a Petrobras, que pague pelo roubo, e que os trabalhadores não seja punidos. Que não sejam punidos aqueles que efetivamente são responsáveis pela construção dessa extraordinária empresa, motivo de orgulho para o nosso País", declarou o ex-presidente.

Lula chamou de "irresponsáveis" os que atribuem toda a culpa do cenário econômico à presidente Dilma e disse que há uma tentativa de "criminalizar o PT e a esquerda", num momento em que o "mau humor está espalhado por esse país".

Lula reconheceu que o país atravessa um momento difícil e disse que "o nosso governo está, outra vez, precisando conversar com o povo" e precisa recobrar o "oxigênio" nas ruas. "Acho que ela [Dilma] tem a noção exata do que eu estou falando. Ela conviveu muito tempo comigo e sabe que, nas horas difíceis, nas horas mais difíceis, não tem outra alternativa a não ser encostar a cabeça no ombro do povo e conversar com ele. Explicar quais são as dificuldades e quais são as perspectivas", afirmou.

Para o ex-presidente, Dilma precisa colocar "o pé na rua" e falar com a parcela da população que torce para ela governar o país. "Tem que fazer o que tiver para fazer em Brasília e, oh, pé na estrada. Ela e os ministros", aconselhou. "O povo vai cobrar? Vai. Mas tem que cobrar mesmo. (...) É essa linha linha direta entre a Dilma e o povo que vai permitir que a gente conquiste grande parte dessa juventude", afirmou.

Foto: Ricardo Stuckert

Ajuste fiscal

Lula comparou o "aperto" nas contas públicas aos cortes que teve que promover ao chegar ao poder, em 2003. Ele atribuiu o mau momento da economia à crise internacional, que estourou em 2008, e disse que as pessoas só veem um Brasil pior hoje porque o comparam com o país que os petistas construíram quando chegaram ao Planalto.

"Valeu a pena tudo o que fizemos e vale a pena, inclusive, o sacrifício que estamos passando agora. Não é uma obra apenas do nosso governo, é resultado de uma coisa muito grave que aconteceu no mundo, com a quebra do sistema internacional. (...) Não temos o direito de ficar apenas reclamando ou chorando. Temos que discutir como vai sair dessa situação", disse Lula.

Maioridade penal

Sobre a redução da maioridade penal recém aprovada na Câmara, Lula frisou que se trata de uma injustiça. "O que explica que o Congresso queira jogar na costa de meninos de 16 anos a responsabilidade pelo que os governos não fazem?". Ele disse também que a "meninada precisa de oportunidade e não de cadeia".

A intolerância política foi outro tema abordado por ele em sua explanação, onde ressaltou a necessidade de defender a democracia. "A democracia pressupõe respeitar o espaço do outro. Repartir democraticamernte os espaços públicos. E não pixar com violência a porta da casa do Jô Soares porque ele entrevistou a presidenta".

Para terminar, Lula encorajou os trabalhadores a fazer a disputa política no Brasil. "A luta dos trabalhadores não pode ser eminentemente econômica. Tem que pensar em outras coisas. Tem que defender a empresa, proposta para melhorar a vida da empresa, mas tem de sobretudo defender a democracia deste país, o estado de direito. Porque não foi fácil o que conquistamos até agora. Não podemos abdicar disso".

Ouça aqui a íntegra do discurso de Lula

Fonte: FUP, Instituto Lula e Brasil 247

Confira as fotos da V Plenafup:

1
2
3
4
6
5
7
8
10
9
11
12
13
14
15
16
maycon-soldan-9
maycon-soldan-8
maycon-soldan-10
maycon-soldan-12
maycon-soldan-11
maycon-soldan-13
maycon-soldan-14
maycon-soldan-15
maycon-soldan-16
maycon-soldan-17
maycon-soldan-18
maycon-soldan-35
maycon-soldan-36
maycon-soldan-19
maycon-soldan-37
maycon-soldan-39
maycon-soldan-38
maycon-soldan-41
maycon-soldan-40
maycon-soldan-43
maycon-soldan-42
maycon-soldan-44
maycon-soldan-45
maycon-soldan-47
maycon-soldan-46
maycon-soldan-48
maycon-soldan-49
maycon-soldan-50
maycon-soldan-51
maycon-soldan-52
maycon-soldan-54
maycon-soldan-53
maycon-soldan-55
maycon-soldan-56
maycon-soldan-57
maycon-soldan-58
maycon-soldan-59
maycon-soldan-60
maycon-soldan-61
maycon-soldan-62
maycon-soldan-63
maycon-soldan-64
maycon-soldan-67
maycon-soldan-68
maycon-soldan-69
maycon-soldan-70
maycon-soldan-72
maycon-soldan-71
maycon-soldan-76
maycon-soldan-78
maycon-soldan-77
maycon-soldan-82
maycon-soldan-83
maycon-soldan-79
maycon-soldan-84
maycon-soldan-85
maycon-soldan-87
maycon-soldan-86
maycon-soldan-88
maycon-soldan-89
maycon-soldan-90
maycon-soldan-91
maycon-soldan-92
maycon-soldan-93
maycon-soldan-94
maycon-soldan-96
maycon-soldan-97
maycon-soldan-100
maycon-soldan-101
maycon-soldan-102
maycon-soldan-103
maycon-soldan-104
maycon-soldan-105

 

Última modificação em Sábado, 04 Julho 2015 15:51

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram