Assembleias estão rejeitando proposta da Petrobrás e aprovando “Operação Para Pedro”

Segunda, 26 Setembro 2016 16:40

 

foto Itamar Sanches/Replan

Os petroleiros estão rejeitando massivamente a proposta apresentada pela Petrobrás, que congela a tabela salarial, altera a jornada de trabalho com redução de salário e reduz direitos conquistados, como a remuneração das horas extras e o auxílio alimentação. As assembleias já foram concluídas na Bahia e em Pernambuco/Paraíba e estão sendo finalizadas nas demais bases da FUP.

Os trabalhadores também estão aprovando por ampla maioria os indicativos de estado de greve e de assembleia permanente, bem como a “Operação Para Pedro”, que consiste no cumprimento rigoroso de todos os itens de segurança operacional e denúncia de quem descumprir ou assediar os trabalhadores. A mobilização dará o pontapé na construção de uma greve nacional, que exigirá novas estratégias de luta da categoria.

Com a adesão de quase 20 mil petroleiros nos dois últimos PIDVs e a saída desses trabalhadores sem reposição das vagas, a categoria está ainda mais exposta a acidentes. A “Operação Para Pedro”, mais do que uma mobilização, é uma necessidade de preservação da vida e precisa do engajamento de todo os trabalhadores. 

Reunião com a Petrobrás na quinta

Em resposta à cobrança da FUP, feita sexta-feira, 23, a Petrobrás concordou com a reunião solicitada e confirmou para o dia 29, às 14 horas, a próxima rodada de negociação do Termo Aditivo do Acordo Coletivo de Trabalho 2015/2017.

Além de cobrar uma nova proposta econômica e resposta para as pendências do ACT, a FUP quer um posicionamento da empresa sobre o Termo de Ciência e Responsabilidade que foi apresentado pelas direções sindicais na última reunião, cobrando o cumprimento na íntegra de todos os procedimentos de segurança previstos pelo Ministério do Trabalho e pela ANP, com a devida responsabilização dos gestores que assediarem ou incitarem os trabalhadores a descumpri-los. 

Quadro Nacional das Assembleias

Bahia – as assembleias foram todas realizadas na quinta-feira passada, dia 22, quando 96% dos trabalhadores consultados aprovaram os indicativos da FUP.  

PE/PB – as assembleias já foram concluídas e aprovaram por ampla maioria os indicativos da FUP: 272 votos a favor da rejeição da proposta da Petrobrás, 10 contra e 06 abstenções; 196 votos a favor do estado de greve e de assembleia permanente, 55 contra e 37 abstenções; 234 votos a favor da “Operação Para Pedro”, 21 contra e 33 abstenções.

Norte Fluminense - as plataformas e algumas bases de terra já concluíram as assembleias, que prosseguem até quarta-feira nas demais bases de terra. O resultado parcial é de 892 votos pela rejeição da proposta da empresa, 12 contra e 12 abstenções; 805 votos a favor do estado de greve, 75 contra e 35 abstenções; 853 votos a favor do estado de assembleia permanente, 43 contra, 19 abstenções; 784 votos a favor da “Operação Para Pedro”, 65 contra e 63 abstenções.

Duque de Caxias – nesta segunda, os trabalhadores do HA da Reduc e da Estação de Compressão do Vale do Paraíba rejeitaram por unanimidade a proposta da Petrobrás e aprovaram os indicativos da FUP. O resultado parcial é de 446 votos a favor dos indicativos da FUP, nenhum contrário e 09 abstenções. As assembleias prosseguem até quarta.

Espírito Santo – trabalhadores seguem rejeitando a proposta da Petrobrás e aprovando os demais indicativos da FUP. Assembleias serão concluídas nesta terça.

Minas Gerais – a primeira assembleia da Regap, realizada ontem, aprovou por unanimidade os indicativos da FUP. As assembleias prosseguem na terça e na quarta.

Rio Grande do Norte – trabalhadores seguem rejeitando a proposta da Petrobrás e aprovando os demais indicativos da FUP. Assembleias serão concluídas nesta terça.

São Paulo – as assembleias da Recap, dos escritórios e da maioria dos terminais já foram concluídas, com 99% de aprovação dos indicativos da FUP. Na Replan, a maioria das assembleias também já foi concluída e os trabalhadores seguem rejeitando a proposta da Petrobrás e aprovando estado de greve e a “Operação Para Pedro”. Um total de 674 petroleiros já participaram das votações. Assembleias serão concluídas na quarta.

Amazonas – os trabalhadores estão aprovando massivamente os indicativos da FUP. Até o momento, são 202 votos a favor, 02 contrários e 04 abstenções. As assembleias prosseguem até terça.

PR/SC – assembleias começaram no domingo, com ampla aprovação dos indicativos da FUP, e prosseguem até quarta.

Sindiquímica-PR – assembleias serão realizadas na terça.

Rio Grande do Sul – assembleias começaram nesta segunda, com 95% dos trabalhadores aprovando os indicativos da FUP. A consulta prossegue até quinta, 29.

CE/PI – as assembleias prosseguem até quinta, 29, e estão aprovando por unanimidade os indicativos da FUP.  

Fonte: FUP, com informações dos sindicatos

Última modificação em Segunda, 16 Janeiro 2017 18:51

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram