Greve já tem aprovação de 90% dos petroleiros de São Paulo

Terça, 14 Julho 2015 17:25

Cerca de 90% dos trabalhadores que participaram das assembleias realizadas até o momento pelo Sindipetro Unificado-SP (Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo) aprovam a greve de 24 horas na próxima semana. A paralisação, convocada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) para o próximo dia 24, faz parte da campanha da categoria em defesa da Petrobrás e do pré-sal.

A maioria dos petroleiros também foi favorável ao estado de assembleia permanente e à contribuição assistencial de 2% da remuneração, dividida em duas parcelas, para o movimento em defesa da estatal. A pauta do Unificado inclui ainda a recomposição da direção sindical nas regionais Campinas e São Paulo.

O calendário de assembleias começou na quarta-feira, dia 8, e termina na quinta-feira (16), com a deliberação dos trabalhadores da TBG Campinas.

A pauta em discussão faz parte do calendário de lutas dos petroleiros, definido na 5ª Plenafup, realizada entre os dias 1 e 5 de julho, na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema.

“A Petrobrás e os petroleiros vêm sendo alvo incessante de ataques da oposição e da mídia, com o claro objetivo de privatizar a companhia e entregar nosso pré-sal ao capital estrangeiro. Não podemos permitir esse entreguismo. Temos que lutar pelos nossos direitos, empregos e por essa grande empresa, que é a principal responsável pelo desenvolvimento do nosso país”, afirmou o diretor do Unificado Arthur Bob Ragusa.

“A participação dos petroleiros na assembleia é muito importante para nos posicionarmos diante da atual e perigosa conjuntura enfrentada pela classe trabalhadora”, destacou o coordenador da Regional Campinas do Unificado, Gustavo Marsaioli.

Fonte: Sindipetro Unificado de São Paulo

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram