Replan: Em protesto, petroleiros atrasam início do expediente nesta quinta-feira

Quinta, 04 Fevereiro 2016 11:55

O Unificado, em parceria com o Sindicato da Construção Civil, realiza na manhã desta quinta-feira (04.02), na Replan, um ato de protesto pelo falecimento do técnico de operação da Refinaria Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, Luiz Augusto Cabral de Moraes, de 56 anos, vítima de acidente de trabalho. Em solidariedade ao petroleiro e repúdio à falta de segurança no Sistema Petrobrás, trabalhadores próprios e terceirizados começarão a jornada de trabalho mais tarde, por volta das 10h.

O ato terá início às 6h30 na portaria Norte, na chegada dos ônibus dos terceirizados, e a partir das 7h15 na portaria Sul, horário que começam a chegar os fretados dos trabalhadores próprios. Devido ao atraso, os operadores que iniciam o turno às 23h não poderão sair no horário normal, às 7h de amanhã, e voltarão para casa um pouco mais tarde.

 

“Vamos fazer esse ato para cobrar da empresa mudanças na política de segurança. A negligência fez mais uma vítima e não podemos mais aceitar que os trabalhadores próprios e terceirizados do sistema Petrobrás convivam com essa insegurança e com a possibilidade de não voltarem para casa”, afirmou o coordenador da Regional Campinas do Unificado, Gustavo Marsaioli.

 

Acidente

O acidente com o petroleiro ocorreu na noite de domingo (31.01). Durante um procedimento de medição, o teto se rompeu e o operador, que trabalhava na empresa há 26 anos, caiu dentro de um tanque de estocagem de óleo lubrificante com 14 metros de altura e temperatura a 75ºC. O corpo de Luiz Augusto só foi localizado no final da tarde de terça-feira (02.02).

 

Segundo informações do Sindipetro-Caxias, em 2013, durante inspeção de equipamentos na refinaria, foi recomendada a troca do teto do tanque onde o operador morreu. Em 2014, o Ministério do Trabalho interditou vários desses reservatórios devido ao nível acentuado de corrosão nas escadas de acesso e nos tetos.

 

O Unificado informa que, junto com a FUP (Federação Única dos Petroleiros), vai acompanhar os rumos da investigação.

Fonte: Sindipetro Unificado de SP

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.