Contra desmonte da Petrobrás e entrega do pré-sal, petroleiros fazem greve de 24 horas

Quinta, 09 Junho 2016 19:21

Os trabalhadores da base do Sindipetro Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro Unificado-SP) iniciam na manhã desta nesta sexta-feira, dia 10 de junho, uma paralisação de 24 horas. A mobilização dos petroleiros acontece em todo o país, em protesto à retirada de direitos trabalhistas, ao desmonte da Petrobrás e à entrega do pré-sal às multinacionais.

A greve de um dia foi aprovada nas assembleias realizadas pelo Sindicato nas duas últimas semanas. “Foi uma decisão difícil e apertada, mas a maior parte dos trabalhadores entendeu que a única chance que temos de barrar esse retrocesso, que trará em breve graves prejuízos para a categoria petroleira, é com resistência e mobilização”, afirmou o coordenador da Regional Campinas do Unificado, Gustavo Marsaioli.

Há tempos, os petroleiros lutam para garantir que o pré-sal, uma das maiores riquezas do Brasil, não seja entregue ao capital estrangeiro. Enquanto senador, José Serra, atual ministro das Relações Exteriores, apresentou um projeto que muda a lei de exploração do pré-sal, retirando da companhia a exclusividade na extração. O projeto já foi aprovado no Senado e está prestes a ser votado na Câmara dos Deputados.

A categoria também é contrária ao desmonte da Petrobrás, através da venda ativos, o que deverá ser intensifico por Pedro Parente, o novo presidente da empresa. Ao assumir o cargo, Parente já anunciou ao mercado o início do processo competitivo para a venda dos terminais de GNL (Gás Natural Liquefeito) e termelétricas no Rio de Janeiro e no Ceará.

A paralisação de 24h desta sexta-feira (10) será a retomada das mobilizações em defesa da Petrobrás e do pré-sal, que culminaram na greve da categoria em novembro de 2015.

Mobilizações

A direção do Unificado fará mobilizações nos terminais da Transpetro de Guararema, Barueri, Guarulhos, São Caetano do Sul, Ribeirão Preto, Brasília, Senador Canedo (GO), Uberlândia e Uberaba (MG), na Usina Termelétrica Luis Carlos Prestes (UTE LCP), em Três Lagoas (MS), nas unidades de Campinas e Hortolândia da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia Brasil (TBG), na Usina Termelétrica Fernando Gasparian (SP), nas sedes administrativas da Petrobrás (Edisp 1) e da Transpetro (Edisp 2), em São Paulo, na Recap, em Mauá, e na Replan, em Paulínia.

Fonte: Sindipetro Unificado de São Paulo

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.