Paralisação desta sexta começa com ato na Refap

Quinta, 10 Novembro 2016 17:32

Os trabalhadores gaúchos vão parar nesta sexta-feira (11), fortalecendo o dia nacional de greve e paralisações que a CUT e as centrais sindicais estarão realizando em todo o país contra a retirada de direitos da classe trabalhadora. O objetivo é protestar diante dos ataques do governo ilegítimo de Michel Temer.

A mobilização está sendo convocada através de panfletos das centrais, bem como através de carro de som, jornais, sites e facebook das entidades sindicais, das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e dos movimentos sociais.

Nas bases da Petrobrás, a mobilização será concentrada em frente à Refap e nos Terminais da Transpetro em Osório e Rio Grande.

Nenhum direito a menos

“Será um dia marcado por greves de categorias em campanhas salariais, paralisações e solidariedade às manifestações de trabalhadores do transporte coletivo. Precisamos despertar quem ainda se encontra alienado pela mídia manipuladora e reagir antes que seja tarde para defender os direitos trabalhistas, previdenciários e sociais, que estão ameaçados de cortes pelo governo e pela maioria retrógrada no Congresso Nacional”, afirmou o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo. “Vai ser mais uma grande jornada de luta rumo à construção da greve geral”.

Segundo Claudir, a mobilização busca aumentar a pressão contra a reforma da Previdência, o desmonte da CLT, a terceirização sem limites, a PEC 55 que congela os gastos em saúde e educação por 20 anos (aprovada como PEC 241 na Câmara) e as privatizações. Os protestos visam também defender o pré-sal e a Petrobras e combater a MP 746, que reforma o Ensino Médio, e o PL 190/15, que prevê a escola com mordaça. “Nenhum direito a menos”, ressalta o dirigente da CUT-RS.

Ato na Esquina Democrática

A mobilização será encerrada com a realização de grande ato, às 18h, na Esquina Democrática, seguido de uma caminhada pelas ruas do centro da capital gaúcha.

“Vamos realizar uma grande manifestação democrática contra a retirada de direitos, em defesa das ocupações dos estudantes, a favor da democracia”, ressalta Claudir.

Audiência pública na Assembleia Legislativa

Antes do ato na Esquina Democrática, a Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa realiza, às 15h, no Teatro Dante Barone, uma audiência pública, proposta pelo deputado Adão Villaverde (PT), para debater os impactos da PEC 55 e da MP 746.

“Temos que ampliar o debate na sociedade e pressionar os senadores para que votem contra a PEC 55, que congela investimentos para as políticas públicos, enquanto continua a gastança com o pagamento dos juros da dívida público ao capital financeiro”, destaca Claduir.

O presidente da CUT-RS salienta que “temos que exigir também de deputados e senadores que votem contra a MP 746, do governo Temer, que promove uma reforma autoritária do ensino médio, sem qualquer debate com estudantes e professores, tirando disciplinas fundamentais para a formação do conhecimento dos estudantes”.

Mobilização no interior gaúcho

Haverá também mobilizações em Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Cruz Alta, Ijuí, Novo Hamburgo, Pelotas, Rio Grande, Passo Fundo, São Leopoldo, Venâncio Aires e Santa Rosa, dentre outras cidades do interior gaúcho.

Fonte: Sindipetro-RS

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram