Fórum em Defesa da Petrobrás e da Petros na Bahia convoca para grande ato dia 12/07, às 7h, no EDIBA

Quinta, 11 Julho 2019 15:51

Será nessa sexta-feira, 12/07, às 7h, em frente ao edifício Torre Pituba (EDIBA), o grande ato contra a volta da cobrança do equacionamento do Plano Petros 1.

O protesto é também contra o encerramento das atividades da Petrobrás na Bahia, contra a venda das refinarias e terminais e contra a proposta de ACT da Petrobrás.

O ato, que está sendo organizado e convocado pelo Fórum em Defesa da Petrobrás e da Petros na Bahia, composto pelo Sindipetro Bahia, Astape, Ambep, Aepet, Abraspet, e Cepes, será a forma da categoria petroleira dar seu recado à direção da Petrobrás. E o recado é muito claro: os petroleiros não aceitam a retirada de direitos e nem vão pagar sozinhos a conta do equacionamento.

Portanto, companheiros e companheiras, vamos sair das redes sociais e fazer a luta na rua. Caso contrário, em pouco tempo não teremos refinarias, campos terrestres, ACTs, Petros e AMS. Enfim, não teremos a Petrobrás na Bahia e nem nossos empregos e aposentadorias;

A Petrobrás e a responsabilidade pelo equacionamento

Vamos cobrar da Petrobrás a sua responsabilidade, como gestora do Plano de Previdência Complementar da categoria petroleira.

Diante da pressão que a Petrobrás vem fazendo na justiça para derrubar as liminares de todos os sindicatos de petroleiros, não podemos continuar lutando apenas na área judicial é preciso também mobilizar, mostrar para a empresa que não vamos aceitar que ela transfira a sua responsabilidade para os assistidos e participantes da Petros.

O equacionamento da forma que está sendo feito está destruindo a vida financeira da categoria, que não tem capacidade para comportar valores tão altos.

Os participantes e assistidos não possuem a gestão do plano. A Petrobras é quem faz plenamente a administração e a gestão da Fundação e do plano. É injusto e desproporcional a cobrança e responsabilização dos participantes e assistidos, que indiscutivelmente, são a parte mais frágil dessa cadeia no aspecto econômico. No entanto, a justiça está pendendo a balança para o lado mais forte, eximindo a patrocinadora, que é a Petrobrás, de sua responsabilidade.

Vamos continuar lutando na justiça para que a Petrobrás assuma seus erros na condução da gestão e administração dos nossos recursos.

Se a Petrobras faz a gestão, que ela assuma os riscos. Se quer compartilhar riscos, que passe a compartilhar a gestão com os donos dos recursos: a categoria petroleira.

A assessoria jurídica do Sindipetro Bahia vai recorrer a justiça contra a queda da liminar referente ao equacionamento que fez com que houvesse o retorno do desconto de 100% estabelecido pela Petros, a partir do mês de julho.
Enquanto isso, vamos mostrar a nossa força – aposentados (as), trabalhadores (as) da ativa e pensionistas – nesse grande ato, mostrando que a categoria petroleira é a protagonista da sua história de luta e conquistas.

[Via Sindipetro Bahia]

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram