Com quase 100% das assembleias realizadas, petroleiros da Bahia seguem aprovando indicativo da FUP para o ACT

Sexta, 11 Setembro 2020 16:59

Das assembleias previstas para deliberar sobre a terceira contraproposta da gestão do Sistema Petrobrás, já foram realizadas 20. Portanto, falta apenas uma assembleia, a dos aposentados, aposentadas e pensionistas, que acontece nesse sábado (12) às 9h, via plataforma de videoconferência zoom.

O resultado parcial – A favor – 75,2% / Contra – 6,7% / Abstenções – 18,1% – aponta para a aprovação do indicativo da FUP, que é o de aceitação dessa última contraproposta da estatal.

Nacionalmente, a categoria também vem optando pela aceitação da contraproposta. Três sindicatos já concluíram as assembleias: Sindipetro-ES, com aprovação de 85%, Sindipetro-PE/PB, onde 91,5% dos trabalhadores aprovaram o ACT, seguindo o indicativo da FUP e o Sindipetro-NF, com aprovação do ACT por 65% dos votantes.

Nesta sexta, 11, mais quatro sindicatos da FUP encerram a consulta aos trabalhadores: RN, MG, Unificado SP e RS. As parciais também apontam a aprovação do indicativo de aceitação do ACT. Veja o quadro abaixo.

Na Bahia, Já foram realizadas assembleias com os trabalhadores e trabalhadoras da Rlam (turmas A, B, C, D, E e Adm), das unidades de Santiago, Miranga, Bálsamo, Buracica, PBIO, Termelétricas, Fafen, Temadre, Taquipe, Transpetros (Camaçari, Jequié, Salvador, Catu e Itabuna), EDIBA e Araças. Apesar das inúmeras tentativas feitas pela direção do Sindipetro, a assembleia da OP-CAN não pôde ser realizada, pois os ônibus chegaram vazios ao local de trabalho.

Após rejeitar as duas primeiras contrapropostas da gestão do Sistema Petrobrás, a categoria petroleira resolveu aprovar a terceira contraproposta seguindo o indicativo do Conselho Deliberativo (CD) da FUP, que após análise cuidadosa resolveu recomendar a aceitação da contraproposta. O CD levou em conta a conjuntura política e econômica atual, entendendo que houve alguns avanços importantes como a manutenção por mais dois anos das conquistas históricas da categoria petroleira no Acordo Coletivo de Trabalho, com garantia de emprego até 31 de agosto de 2022, o que significa que por dois anos não haverá demissão sem justa causa. Além de ter conseguido reduzir o aumento que a Petrobrás iria aplicar nas tabelas do grande risco da AMS, mantendo o regramento do plano de saúde no ACT.

[Via Sindipetro-BA]

Publicado em SINDIPETRO-BA

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.