Petroleiros e engenheiros querem criar Corredor Econômico e Trem do Sertão ao Litoral, na Bahia

Segunda, 02 Novembro 2020 20:27

Em busca de uma maior integração econômica, social e tecnológica entre importantes cidades da Bahia, representantes da FUP, Sindipetro Bahia e Mútua (Caixa de Assistência dos Profissionais do CREA), se reuniram na tarde da quinta-feira (29), com o Secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia, Nelson Pelegrino, quando entregaram o Manifesto pró-corredor metropolitano Salvador/Feira de Santana.

Participaram da reunião, os coordenadores da FUP, Deyvid Bacelar e do Sindipetro Bahia, Jairo Batista. Além do Diretor da Mútua, Danilo Ferreira. Também estavam presentes parlamentares e candidatos às eleições municipais que, de antemão, se comprometeram com a proposta apresentada que é a criação do Corredor Econômico e do Trem do Sertão ao Litoral, envolvendo as cidades de Feira de Santana, Amélia Rodrigues, Santo Amaro, São Francisco do Conde, Madre de Deus, Candeias, São Sebastião do Passé, Simões Filho, Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari e Dias D’Ávila.

Bacelar e Batista explicaram que no Corredor Metropolitano “que estamos lutando para criar”, encontram-se diversas cidades de histórica matriz petroleira que “já sofrem com a paulatina e premeditada desativação das atividades da Petrobrás e serão ainda mais atingidas com a venda de diversas unidades e a privatização da estatal que vem sendo colocada em prática, de forma criminosa, irresponsável e ilegal pelo governo Bolsonaro”.

“Em nossas discussões no movimento Petrobrás Fica, que combate o descalabro do entreguismo praticado contra as estatais nesse governo bolsonarista, nos chamou a atenção o fato da inexplicável ausência de qualquer política sólida de integração entre as duas principais cidades do nosso estado, Salvador e Feira de Santana, e também em relação aos outros importantes municípios já citados”, ressaltaram os coordenadores da FUP e do Sindipetro Bahia.

Ferreira afirmou que o principal objetivo é que as cidades pertencentes a esse “Corredor” sejam vistas enquanto cidades globais. “Devemos pensar o todo, visando o desenvolvimento econômico sustentável, inclusivo e socialmente justo com seus trabalhadores e o povo. Nós acreditamos na mobilidade e integração econômica, cultural e humana proporcionada por modais complementares intermunicipais, cujo eixo central estruturante estará assentado no Trem Rápido Salvador/Feira de Santana”.

Com a missão de buscar incentivar os setores organizados da população de todas as cidades a embarcarem nessa luta de construção de um novo tipo de Região Metropolitana, as entidades sindicais procuraram o governo do Estado, através do secretário, Nelson Pelegrino, que recebeu a proposta, confirmando que há esse projeto nas secretarias de desenvolvimento urbano e na de infraestrutura.

De acordo com o secretário já há uma pesquisa em andamento, analisando a origem e o destino do percurso do “Corredor” para verificar, entre outras coisas, o fluxo de pessoas nessas cidades. Com a pesquisa, explicou Pelegrino, o governo busca informações para que possa oferecer vantagens aos investidores, já que a ideia é que essa seja uma parceria público-privada.

O estudo, de acordo com o secretário, vai definir a viabilidade econômica desse projeto, que vai além da questão do trem do sertão e do corredor metropolitano. Segundo ele há um objetivo mais amplo que é o desenvolvimento regional entre as regiões metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, que agrega todas essas cidades e que acaba ajudando no desenvolvimento de todo o estado.

Veja resumo das propostas apresentadas

1- Criação de Grupo de Trabalho inicial para apreciação da ideia de criação do Corredor Metropolitano Salvador-Feira de Santana e apontamentos de desdobramentos, com participação da FUP, Sindipetro Bahia, Mútua/CREA e outras entidades da sociedade civil organizada.

2- Criação de Grupo de Trabalho com participação da FUP e Sindpetro Bahia e Mútua/CREA para delinear estudos de impactos, históricos e atuais, de cunhos ambientais e sociais das empresas do Setor Petróleo e Gás com principalidade no âmbito do Corredor Metropolitano.

3- Criação de Grupo de Trabalho para apreciação dos parâmetros técnicos e sociais da mobilidade urbana no âmbito do Corredor, inclusive do Trem Rápido, e da viabilidade de organização de PPP com finalidade de buscar e assegurar os investimentos necessários.

Assista ao vídeo da reunião com o secretário.

[Da imprensa do Sindipetro BA]

 

Publicado em SINDIPETRO-BA

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.