Frentes parlamentares lançam campanha para salvar a Petrobrás e o Pré-Sal

Sexta, 11 Maio 2018 18:18

A exemplo do que ocorreu na década de 50, com a campanha O Petróleo é Nosso, que culminou na criação da Petrobras durante o governo de Getúlio Vargas, as bancadas do PT na Câmara e no Senado se unem em movimento semelhante para, mais uma vez, defender a soberania nacional diante da política entreguista promovida pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

Lançada na última quarta-feira (9) a campanha O Petróleo é do Brasil, promovida pelas frentes parlamentares mistas em Defesa da Petrobras e da Soberania Nacional, pretende criar uma nova mobilização que envolva não só os parlamentares que estão em desacordo com a proposta de desmonte da maior petroleira brasileira e a venda do pré-sal como também movimentos sociais, sindicatos e sobretudo a população brasileira.

A campanha extrapola o âmbito das ruas e do Parlamento, com o lançamento de um site e uma página no facebook. Um manifesto – que orienta as ações da campanha – também foi divulgado no ato de lançamento e lido pelo ex-dirigente da Petrobras e coordenador da descoberta do pré-sal, Guilherme Estrella.

Para o deputado José Guimarães (PT-CE), mais do que defender a autonomia da Petrobras a campanha é, mais do que tudo,  contra a entrega do pré-sal. “Este governo golpista já passou de todos os limites, mas neste momento as forças nacionalistas e populares estão novamente unidas para impedir que entreguem o nosso maior patrimônio. Na década de 50 era O Petróleo é Nosso. Agora é o Petróleo é do Brasil”, enfatiza o parlamentar.

A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) também lembrou da semelhança entre as duas campanhas. “Eu participei das ações d’O Petróleo é Nosso e não imaginava que estaríamos numa nova campanha do tipo neste momento da história do Brasil. Todos que tem mais de 60 anos sabem que o crescimento do país vem da chamada galinha dos ovos de ouro que é o nosso petróleo”, lamentou a deputada.

A parlamentar, no entanto, acredita que seja possível reverter o desmonte do estado brasileiro desde que haja intensa mobilização popular. “Nós sabemos o que está em jogo neste momento. Desde o golpe que foi dado em 2016 a intenção era entregar o pré-sal, a Petrobras e todas as riquezas do país. Por isso este tem que ser um movimento em defesa do povo brasileiro”, conclui Benedita.

O deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP) também acredita que a conscientização do brasileiro será a principal arma contra a entrega do petróleo nacional. “Temos que mostrar ao povo brasileiro que a importância do petróleo abrange praticamente todos os setores, pois não há produto industrializado que não o tenha como matéria prima. É preciso aumentar a conscientização das pessoas de que o Brasil pode e deve ter o controle sobre as suas riquezas”, declarou.

Sobre as justificativas do governo golpista para tentar convencer a população de que o petróleo será rentável ao país nas mãos do capital estrangeiro, Zarattini foi enfático: “Mais uma vez o governo golpista se vale de mentiras para tentar justificar a privatização da Petrobras e a entrega do pré sal ao capital estrangeiro. Vamos lutar até o fim para impedir que isso aconteça criando obstáculos para obstruir qualquer votação sobre o tema”, conclui.

Participe da Campanha:

Siga, curta e acompanhe!

https://www.facebook.com/petroleodobrasil

www.opetroleoedobrasil.com.br

[Via Agência PT de Notícias]

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram