Lula deixa a prisão política após 580 dias de injustiça: ‘Tentaram matar uma ideia. Ideia não se mata’

Sexta, 08 Novembro 2019 18:45

Após dezenas de reviravoltas na Justiça, com decisões políticas e persecutórias, que aceleraram a tramitação de seus processos e negaram diversos recursos que tentavam recuperar sua condição de inocente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente deixou a prisão na tarde desta sexta-feira, 8 de novembro de 2019, após 580 dias preso politicamente.

"Todo santo dia, vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e à canalhice que um lado podre do estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal, da Receita Federal que trabalharam para criminar o PT, criminar o Lula", discursou Lula. "Eles não prenderam um homem, tentaram matar uma ideia. E uma ideia não se mata, uma ideia não desaparace", afirmou. 

Lula criticou o governo de Jair Bolsonaro e precarização dos trabalhadores brasileiros. "O povo está trabalhando de Uber, o povo está trabalhando de bicicleta entregando pizza, o povo está trabalhando sem nenhum respeito", afirmou. 

O ex-presidente também criticou a farsa jurícia que foi montada pela operação Lava Jato para condená-lo e prendê-lo. "Se pegar o Moro e o Dallagnol e bater em um liquidificador não dá 10% da honestidade que eu tenho", acrescentou. 

Lula deverá seguir para São Bernardo do Campo e deverá fazer um pronunciamento à Nação por volta de 10h deste sábado, no Sindicato dos Metelúrgicos de São Bernardo, de onde ele saiu no dia 7 de abril de 2018 para se entregar à Polícia Federal para o cumprimento da condenação de Sérgio Moro contra ele. 

Assim como ocorreu com sua prisão, em abril de 2018, uma multidão aguardava por horas a saída do petista em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, com cantos e gritos. Logo que deixou a cela, Lula se dirigiu aos militantes que moraram no local por todo o período da prisão para agradecer pelo apoio. Em seguida, ele seguirá para São Bernardo do Campo, onde deverá fazer um discurso na manhã deste sábado 9.

Lula deixou a prisão um dia depois da decisão do Supremo Tribunal Federal, por 6 a 5, contra a antecipação da pena para réus condenados em segunda instância.  

Conversa Afiada reproduziu, de modo não literal, os principais momentos do pronunciamento de Lula:

- vocês não têm noção do significado de eu estar aqui com vocês.

- eu, que a vida inteira estive conversando com o povo brasileiro, não pensei que no dia de hoje poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram aqui "bom dia, Lula", "boa tarde, Lula", "boa noite, Lula", não importa que estivesse chovendo, com 40 graus, com 0 grau

- vocês eram o alimento da democracia de que eu precisava para resistir ao que o lado podre da Justiça fez comigo e com o povo brasileiro

- eu não poderia ir embora daqui sem cumprimentar vocês

- quero cumprimentar também o nosso quase presidente, se não fosse roubado, Fernando Haddad

- eu não ia nem falar aqui, porque estou há 580 dias dentro de uma sala, ouvindo vocês todo dia, ouvindo as músicas de vocês. Eu imaginei que quando eu saísse, poderia encontrar cada companheiro da vigília e dar um grande abraço e um grande beijo, porque vocês não sabem a importância de vocês na minha vida

- o lado mentiroso da Polícia Federal, da força-tarefa do MPF e o Moro têm que saber: não prenderam um homem. Tentaram matar uma ideia! Uma ideia não se mata! Uma ideia não desaparece! E eu quero lutar para provar que se existe uma quadrilha e um bando de mafioso nesse país é essa maracutaia que eles fizeram, liderados pela Globo, para criar a imagem de que o PT precisava ser criminalizado

- se pegar o Dallagnol, o Moro e alguns delegados, enfiar um dentro do outro, bater no liquidificador, o que sobrar não é dez por cento da honestidade que eu represento neste país

- caráter e dignidade a gente não compra! Eu adquiri tudo o que eu tenho na vida de uma mulher que nasceu analfabeta e me ensinou a ter dignidade: a dona Lindu. Que me faz dizer pra essa gente: eu saio daqui sem ódio. Aos 74 anos, o meu coração só tem espaço para o amor. O amor vai vencer neste país!

- mas eles têm que saber que o nordestino que nasceu em Garanhuns, que passou fome, veio pra São Paulo e não morreu de fome, não tem nada que o vença!

- a partir de agora, estou indo para São Paulo. Amanhã tem encontro no Sindicato do Metalúrgicos e, depois, as portas do Brasil estarão abertas, para que eu possa percorrer este país

- depois que eu fui preso e eles roubaram do Haddad, o Brasil piorou! Não vai ter aumento do salário mínimo nos próximos dois anos!

- podem ter certeza: eu não tenho mágoas dos policiais federais, dos carcereiros. Eu tenho é vontade de provar que esse país pode ser muito melhor na hora em que ele tiver um governo que não minta tanto pelo Twitter como esse do Bolsonaro

- obrigado pelo grito "Lula livre"!

[Via Brasil 247 e Conversa Afiada]

Última modificação em Sexta, 08 Novembro 2019 19:00

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram