Petrobras continua impedindo o Sindipetro Bahia de cumprir liminar da justiça

Quarta, 12 Fevereiro 2020 15:56

No inicio da manhã dessa quarta-feira (12), trabalhadores próprios e terceirizados da Refinaria Landulpho Alves,  realizaram um grande ato para marcar o 12º dia de greve da categoria e afirmar a disposição de continuar na luta até que a  direção da Petrobras negocie e cumpra o que foi acordado no ACT.

Após o ato eles caminharam até o portão principal da RLAM quando os diretores do Sindipetro Bahia conversaram com a  gerente de RH da unidade a fim de cumprir a liminar proferida pelo Ministro Yves Gandra, que determina que  um efetivo de 90% seja colocado à disposição da estatal durante a greve.

A gerente não soube responder às perguntas feitas pelo coordenador do Sindipetro, Jairo Batista. E até o momento não houve uma resposta clara da Petrobras, na Bahia,  em relação ao assunto.

Em ofício enviado a todos os gerentes, cujas unidades estão em greve, o Sindipetro Bahia pede esclarecimentos da empresa para que seja possível cumprir a liminar. Mas a estatal vem, reiteradamente,  negando informações sobre efetivos e impedindo o acesso dos trabalhadores às unidades.

A preocupação, segundo Jairo, é com os trabalhadores que permanecem dentro da unidade e estão sendo impedidos de sair, mesmo após cumprir a sua jornada de trabalho. “A gerência está colocando em risco a saúde e segurança desses trabalhadores. A Petrobrás no seu jogo intransigente não está permitindo que os sindicatos cumpram  a liminar”.

Os  petroleiros seguem mobilizados em todo o país, cobrando a suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), previstas para terem início na sexta-feira, 14, e o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho. Mais de 20 mil petroleiros de 102 unidades do Sistema Petrobrás participam do movimento.

Na Bahia, a greve segue  forte nas unidades da UO-BA (Santiago, Miranga, Araças, Taquipe, Bálsamo, Candeias  e  Buracica) da Petrobrás, onde se localizam os campos terrestres de petróleo.

Na Refinaria Landulpho Alves, no Terminal de Madre de Deus e na PBIO (fábrica de biocombustível), os petroleiros também estão paralisados.

O movimento paredista envolve trabalhadores próprios (concursados) e terceirizados.

 

Fonte – Sindipetro Bahia

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram