Sindicato denuncia crescimento da COVID-19 em plataformas do RN e cobra providências da Petrobrás

Segunda, 25 Maio 2020 18:49

O SINDIPERO-RN protocolou nesta terça-feira, 25, um ofício (nº 070/2020), em caráter emergencial, exigindo que a Petrobrás que todas as instalações e unidades da Estatal e demais empresas contratadas off-shore e on-shore do Rio Grande do Norte, onde tenham sido registrados casos de Covid-19 sejam isoladas para desinfecção. O texto ainda se refere aos trabalhadores e trabalhadoras suspeitos ou não-suspeitos, inclusive seus dependentes, sejam testados e mantidos em quarentena, conforme as orientações e protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias do país, estado e municípios.

Ocorre que, no último sábado, dia 23, chegou ao conhecimento do Sindicato que, a exemplo do que ocorreu no Ceará, diversos casos de contaminação foram registrados nas plataformas da Petrobrás no Campo de Ubarana do Rio Grande do Norte, tendo os trabalhadores sido desembarcados e colocados em quarentena. Mas, essas informações não são oficiais, ou seja, a empresa não se digna a informar ao SINDIPETRO-RN – e não se sabe, também, se informa as autoridades sanitárias a nível estadual e municipal - sobre qual a real situação da Covid-19 em todas as suas unidades e instalações do Estado, inclusive, suas subsidiárias e coligadas, o que é muito grave e preocupante.

Risco eminente

Cabe ressaltar que os ambientes de acomodações de hotelaria nas plataformas, unidades operacionais e embarcações são bastante reduzidos visando a acomodar o maior número de pessoas em camarotes duplos, triplos e até quádruplos, sendo público e notório que esse tipo de dificuldade para estabelecer o distanciamento e isolamento social favorece o contágio pelo Covid-19.

Descaso

Como todos sabem a pandemia do Covid-19 avança de forma dramática em todo o país notadamente nos ambientes de trabalho o risco de contaminação tem se revelado extremamente grande, inclusive, com relação ao Sistema Petrobrás, graças a política de desvalorização de direitos trabalhistas e de proteção, à vida, adotada pela gestão de Castelo Branco – indicada pelo atual presidente da República.

No último boletim, publicado no dia 18 de maio, o Ministério de Minas e Energia (MME) informou que até àquela data, 573 empregados próprios haviam sido infectados pelo Covid-19, e entre estes, 330 já estão recuperados, enquanto outros 243 ainda se encontram em quarentena. Porém, foi divulgado no boletim anterior que entre os trabalhadores e trabalhadoras terceirizados esse número era de aproximadamente 800 pessoas.

Lamentavelmente apesar da Federação Única dos Petroleiros e seus Sindipetro’s filiados – entre os quais o SINDIPETRO-RN - solicitarem de forma constante informações sobre a pandemia no Sistema Petrobrás, a gestão dessa Companhia insiste com sua postura desrespeitosa e antidemocrática de ignorar as entidades sindicais e não revela os números oficiais e, igualmente, não apresenta os protocolos que estão sendo utilizados na prevenção e combate ao coronavírus, tornando a situação ainda mais difícil e perigosa para a força de trabalho, seus familiares, amigos e comunidades onde os petroleiros próprios e terceirizados residem.

Responsabilidade

Neste sentido, o SINDIPETRO-RN cobra, mais uma vez, informações oficiais sobre a situação da Covid-19 no ambiente Petrobrás no Rio Grande do Norte e, ao mesmo tempo, em que solicita também, informações sobre quais as que estão sendo adotadas para garantir um ambiente de trabalho seguro e que seja capaz de proteger os trabalhadores e trabalhadoras contra o contágio pelo coronavírus, e quais as medidas protocolares para prevenir e combater a pandemia.

Por oportuno, estamos comunicando que uma cópia desse ofício será enviada a todos os órgãos de fiscalização sanitária e trabalhista, como também, autoridades estaduais e municipais onde a Petrobrás, suas subsidiárias, coligadas e demais empresas contratadas mantém atividades produtivas operacionais ou em hibernação, quando for o caso.

[Via Sindipetro-RN|Foto: Christian Vasconcelos]

Última modificação em Terça, 26 Maio 2020 16:46

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram