Sem a Petrobrás, amigo, “você vai perder, o Paraná vai perder”

Segunda, 24 Agosto 2020 21:14

No último dia 20 de agosto, o Fórum de Defesa da Petrobrás organizou uma live em sua página oficial com diversas lideranças políticas e sindicaisO evento contou com palestra do senador Jean Paul Prates (RN), que preside, em Brasília, a frente Parlamentar Mista que trabalha para impedir a privatização da estatal. 

Ele explica o objetivo da campanha “Petrobrás Fica”: “é você ir enfrentar o monstro. Não adianta falar com o coleguinha de laranja, tem que ir lá no de terno e gravata, no banqueiro, no gerente de banco e dizer: amigo, você vai perder, o Paraná vai perder, isso é um desmonte”. 

Assista a palestra na íntegra 

No Paraná, a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar/Araucária), com seus dutos e terminais, e a Usina do Xisto (SIX/São Mateus do Sul) estão sob ameaça de privatização. Jean Paul aponta que isso é um desastre para o estado, já que “o sangue da nossa economia é o petróleo e ele está em tudo. Nós temos uma empresa que faz tudo direitinho, é complementar e otimizada, mas agora vamos brincar de concorrência predatória”.  

O senador acrescenta que “é uma bobagem acreditar que a Repar privada vai gerar um combustível mais barato. Se estamos praticando a paridade internacional, o fato de ter uma refinaria privada ou estatal não faz diferença. Ou alguém vai vender abaixo do preço só por que é privada? Esse processo é cheio de falácias”. 

Nunca no Brasil uma administração federal ousou contestar as funções da Petrobrás como desenvolvedora da economia nacional, principalmente em relação as refinarias. De acordo com o senador, elas foram projetadas para atuar como parceiras “numa missão grandiosa de abastecer o país de forma ótima, com menor custo e maior vantagens para a sociedade”. 

Parlamentares 

A transmissão do lançamento da campanha contou com a participação de diversos parlamentares paranaenses. O deputado federal Enio Verri, comprometido na defesa da estatal em Brasília, explica que a luta “é para evitar o processo de esquartejamento da Petrobrás”. 

De acordo com Verri, em recente reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ficou acordado que “não será colocado em pauta na Câmara dos Deputados nenhum tipo de privatização”. 

No Paraná, segundo o deputado estadual Tadeu Veneri, é preciso que as ações contra a saída da Petrobrás andem rápido. 

Ele lembrou que durante o processo de hibernação da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen/Paraná), os parlamentares e o Sindipetro PR e SC solicitaram audiência com a então governadora Cida Borghetti: “esperamos mais de 45 dias, ela recebeu um grupo de russos que estava interessado na compra e não recebeu o sindicato”. 

Já o deputado estadual Michele Caputo foi contundente ao dizer que essa campanha é suprapartidária. “Todos sabem, eu sou um deputado do PSDB, mas desde que a bancada dos deputados do PT levou a questão da Fafen à Assembleia, me solidarizei. De lá para cá, só aumentou minha preocupação”. 

Para ele não se pode deixar acontecer com a Repar e a SIX o mesmo que aconteceu com o Fafen, um exemplo do descaso desse Governo Federal. “Todos nós somos vítimas de um presidente que não respeita a vida e a democracia. Um racista, homofóbico e genocida. Um homem que não respeita a pluralidade desse país, nem os poderes constituídos”, enfatizou Caputo. 

Finalizou se colocando à disposição na defesa da campanha “Petrobrás Fica no Paraná”: “vocês têm todo meu aponho e meu empenho. Se precisar que a gente se some para conversar com o governo e setor produtivo”. 

Professor Lemos, líder da oposição na Assembleia Legislativo do Paraná (ALEP), apontou que essa campanha não pode ser só de uma parte da sociedade, “é preciso que a população, de um modo geral, participe. Porque a companhia é estratégica para o nosso país e para o nosso povo”. 

O parlamentar revelou que o líder do governo, deputado Hussein Bakri, se comprometeu em marcar para os próximos dias uma reunião com o governador Ratinho Junior, com a presença de representantes do Fórum de Defesa da Petrobrás. Bakri também aceitou protocolar documento que convoca audiência pública com participação do executivo estadual, parlamentares e prefeitos do Paraná. 

“Esse debate é para além dos municípios que têm unidades. A companhia é importante para todas as cidades, não apenas para Araucária, São Mateus do Sul ou Paranaguá. A Petrobrás ajuda todo o Paraná. A receita que o estado e a união recolhem é partilhada em todos os municípios”, concluiu Lemos.  

Denunciar 

A campanha “Petrobrás Fica” é uma mobilização nos estados com o objetivo de denunciar o “acordão” entre a atual gestão da companhia e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). É parte dos trabalhos da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobrás presidida por Prates. 

Durante a palestra, Prates ainda apontou à necessidade de ampliar a comunicação para fora do universo do Sistema Petrobrás: “estão desmantelando o mercado de fertilizantes, por exemplo, então vamos falar com o agro”.  

Hoje o Brasil caminha para uma grande contradição histórica, pois é um país que conquistou a auto suficiência do petróleo, mas opta por ficar suscetível ao preço internacional. “Conquistamos auto suficiência para quê? Todos lutaram pela auto suficiência do petróleo, até a ditadura militar”, completa. 

Fórum de Defesa da Petrobrás   

A organização do Fórum de Defesa da Petrobrás agradece o senador Jean Paul Prates pela palestra. Também enaltece o apoio e saudação do deputado federal Ênio Verri e dos deputados estaduais Tadeu Veneri, Professor Lemos e Michele Caputo. Assim como as lideranças: Alexandro Guilherme Jorge (Presidente do Sindipetro PR e SC), Gerson Castellano (FUP), Márcio Kieller (CUT-PR), Mário Dal Zot (FUP) e Roni Barbosa (CUT Nacional). Além de Simon Quadros, Procurador do município de Araucária.

[Da imprensa do Sindipetro-PR/SC | Por: Regis Cardoso]

 

Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram