Nos 67 anos da Petrobrás, ato do Sindipetro Bahia destaca o apogeu e o desmonte da indústria do petróleo no estado

Sexta, 02 Outubro 2020 18:24

Nesse sábado, 3 de outubro, a Petrobrás faz 67 anos e a data será lembrada através de uma grande mobilização organizada pelo Comitê de Luta Contra as Privatizações, Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e Plataforma Operária e Camponesa da Água e da Energia.

Segundo os organizadores, o Dia Nacional de Luta em Defesa do Patrimônio do Povo Brasileiro tem o objetivo de apresentar um contraponto à agenda econômica de privatizações do governo federal e fortalecer uma articulação nacional em defesa das empresas públicas e estatais em todo o Brasil.

Além de atos virtuais, acontecem também atividades presenciais em vários locais do Brasil. No Rio de Janeiro, centenas de pessoas vão se reunir para dar um abraço na sede da Petrobrás, representando o cuidado com essa grande empresa e também a importância que ela tem para o povo brasileiro. Nas bases operacionais da estatal também haverá atos, pela manhã, na entrada dos turnos.

Ás 15h ocorrerá outra atividade, o “Ato Virtual pela Soberania Nacional”, que será transmitido também pelas páginas do facebook e youtube da FUP e do Sindipetro Bahia. O ato contará com a presença dos deputados federais Marcelo Freixo (Psol-RJ), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), do ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) e dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT). Outras lideranças políticas e sindicais como o Coordenador da FUP e diretor do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar, são esperadas.

Na Bahia, berço do petróleo, está programado um ato e uma atividade para a manhã do sábado (3). Os locais escolhidos – o poço do Lobato, onde foi descoberto o petróleo no Brasil e o estaleiro de São Roque do Paraguaçu – representam o inicio e o fim do sonho de um país soberano e autossuficiente em energia.

Tanto o ato no bairro do Lobato, quanto a atividade em São Roque do Paraguaçu acontecem das 10h às 12h, com entrada ao vivo em live na página do Comitê de Luta contra as Privatizações (https://www.facebook.com/comitedelutaemdefesadopovobrasileiro/)

Lobato

Às 10h, em comemoração aos 67 anos da Petrobrás, os diretores do Sindipetro Bahia, darão inicio a um ato simbólico na praça onde fica o monumento ao petróleo, no bairro do Lobato, localizado no subúrbio ferroviário de Salvador, onde foi descoberto o primeiro poço de petróleo do país, marco fundamental da confirmação da presença de petróleo na Bahia e no Brasil.

Para a atividade, foram convidados representantes de diversos sindicatos, centrais sindicais e de movimentos sociais e da juventude. Além da categoria petroleira, parlamentares e de representações políticas do setor petróleo.

Um bolo com a logomarca da Petrobrás e em homenagem aos trabalhadores da estatal será levado ao ato para que todos possam cantar parabéns para essa grande empresa. Também serão distribuídos brinquedos para as crianças do bairro, além de máscaras e álcool em gel.

São Roque do Paraguaçu

A outra atividade acontece no Estaleiro Enseada Paraguaçu, localizado no município de Maragogipe, no Recôncavo baiano, que chegou a ter quase 8 mil pessoas trabalhando em sua construção, sendo que mais de 80% delas eram moradores da própria região.

Mas a abundância, o progresso, renda e empregos levados pela Petrobrás ao pequeno município se desfizeram, de forma abrupta, pela Operação Lava Jato que levou à paralisação das obras e operação do estaleiro Enseada Indústria Naval, provocando, desemprego em massa, abandono, falência e endividamento de muitos comerciantes e pequenos empresários que abriram negócios no local atraídos pela oportunidade, mas acabaram perdendo tudo o que investiram.

São Roque do Paraguaçu é hoje o retrato da devastação da indústria do petróleo após a Lava Jato.

Fonte –Sindipetro Bahia

Última modificação em Sexta, 30 Outubro 2020 19:06

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.