Sindicalistas lamentam morte de ex-presidente da CNQ/CUT

Quinta, 28 Janeiro 2021 18:23

Sérgio Novais deixou um legado de lutas e vitórias para a categoria química e toda a classe trabalhadora

[Da imprensa do Sindicato dos Químicos do ABC]

O ex-presidente da Confederação Nacional do Ramo Químico (CNQ-CUT) e do Sindicato dos Químicos do ABC, Sérgio Novais faleceu nesta quinta-feira (28), aos 62 anos, por falência múltipla de órgãos.

Novais foi o operador de Eletroerosão, e trabalhava na Cofade quando iniciou a militância no Sindicato, e posteriormente na BASF, onde se aposentou.

Foi eleito presidente do Sindicato em 1997, quando encabeçou a chapa 1 da CUT, derrotando a oposição da Força Sindical, ficando no cargo até 2003. Antes disso, em 1991, foi diretor de base, depois coordenador da Regional Pauliceia e também secretário de Administração e Finanças do Sindicato.

Nos anos 2000, foi eleito dirigente da Confederação Nacional do Ramo Químico (CNQ-CUT), onde exerceu por duas vezes o cargo de Presidente, foi também Secretário de Relações Internacionais e, posteriormente, Secretário de Administração e Finanças.

Contribuiu de forma extraordinária para o fortalecimento da luta da classe trabalhadora através da solidariedades sindical nacional e  internacional, deixando o legado de construção e atuação na Rede de Trabalhadores na BASF América do Sul e  na Federação Internacional dos Sindicatos da Química, Energia, Mineração e Indústrias Diversas (ICEM) - atualmente INDUSTRIALL (após fusão com outros ramos), entidade da qual Sergio chegou a ser membro da direção executiva.

Deixa a esposa Vera Novais e dois filhos: Thiago Novais e Rodrigo Novais.

"Estamos desolados. A partida de Sergio Novais nos deixa um grande vazio. É uma perda imensa e dolorida para a família, amigos e para toda a categoria química. Amigo e parceiro fiel das nossas lutas, Sergio foi uma liderança fundamental para muitas das conquistas dos trabalhadores e trabalhadoras da categoria química. Ajudou a levar o nome do Sindicato mundo afora através da ICEM, hoje IndustriALL. Fará muita falta! Sergio Novais, sempre presente!, disse  Raimundo Suzart, presidente do Sindicato dos Químicos do ABC.

Manifestamos nossa solidariedade a toda família, amigos/as e companheiros/as de luta de Sergio Novais, neste difícil momento de tristeza.

O também ex-presidente do sindicato dos químicos, Remígio Todeschini ,manifestou seu pesar pela morte do colega. Para ele, Sérgio Novais nos deixou cedo com legado sindical nacional e internacional na área química!

Diz o texto: É com pesar que venho escrever um pouco da memória do companheiro de lutas Sérgio Novais, que depois de uma semana de internação veio a falecer em Santo André-SP em 28/01/21. É uma perda imensa e irreparável para a categoria química,  para sua esposa Vera, seus filhos Thiago e Rodrigo. Nossa solidariedade neste momento de luto.

Sérgio Novais, foi trabalhador da Cofade de Mauá-SP nos anos 80, que depois foi incorporada pela BASF,  e era um militante muito ativo e organizador da luta dos trabalhadores naquela fábrica. Um militante da CIPA e  foi escolhido pelos companheiros daquela fábrica para ser diretor de Base do Sindicato a partir de 1991, juntamente com o Carlos Sanches (Carlão) quando na época assumi a presidência do Sindicato. Logo na primeira gestão do Sindicato passou a ser o coordenador da área da Paulicéia em São Bernardo do Campo e na sequência foi diretor de organização dos Quimicos do ABC.

Em 23 de agosto de 1996, assumiu a Presidência do Sindicato dos Quimicos do ABC, e foi reeleito até 2003 quando passou a Presidência para o companheiro Paulo Lage.  Difundiu a partir da campanha salarial de 1998 a necessidade de ampliar a representação do local de trabalho, através do SUR, Sistema Único de Representação, acoplando a Comissão de Fábrica com a CIPA em diversas empresas. Também muito ativo no processo de qualificação profissional dos trabalhadores químicos do ABC, no projeto Alquimia.  Ativo na luta para garantir em 2001 que a antiga Kolinos, e atual Colgate,  com a mobilização dos trabalhadores que a produção de higiene bucal continuasse em SBC, como centro de produção de toda a América Latina.

Se não bastasse toda sua atuação no próprio sindicato dos Quimicos, segundo Airton Cano, também da BASF, e atual coordenador da Fetquim, ele contribuiu muito para a consolidação da organização de Ramo Químico, a Confederação dos Trabalhadores Químicos da CUT, tendo dado continuidade ao trabalho internacional da CNQ e da sua  direção de finanças. e foi Diretor  também a ICEM ( Internacional dos Trabalhadores Quimicos), e após a fusão com todo o setor industrial, foi da Direção Executiva do Industriall. Nestes últimos anos dedicou-se na organização da Rede BASF  de toda a América Latina, e principalmente do Brasil, tendo sido coordenador desta rede por diversas vezes. Portanto, segundo Airton Cano, era intenso o seu trabalho em organizar sindicalmente o grupo BASF, enfim era um organizador nato e um negociador habilidoso  e também contribuiu na organização da própria Federação dos Tabalhadores Quimicos da CUT no estado de São Paulo.

Sérgio nos deixou cedo, com apenas 62 anos, uma dor imensa e irreparável  para sua família e filhos, e para toda a Categoria. Sérgio Novais continua presente.

Sergio Novais, presente !

Última modificação em Segunda, 01 Fevereiro 2021 09:36
Publicado em Movimentos Sociais

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.