Sede da FUP é invadida no Rio de Janeiro

Sexta, 28 Maio 2021 19:06

Ainda não é possível afirmar se a invasão foi roubo ou uma tentativa de intimidação ao trabalho desenvolvido pela federação, que registrou a ocorrência e irá aguardar as investigações

A sede da Federação Única dos Petroleiros (FUP), no Centro do Rio de Janeiro, foi invadida. A invasão foi descoberta na manhã desta sexta-feira (28/5), quando uma trabalhadora da federação foi ao local. Representantes da FUP e de seu Departamento Jurídico registraram ocorrência e vão aguardar as investigações para saber se o evento foi um roubo ou uma tentativa de intimidação ao trabalho desenvolvido pela entidade. 

Além de arrombar as salas da Secretaria Geral e da Coordenação Geral, revirar armários e gavetas e espalhar papéis pelo chão, os invasores levaram duas TVs – uma delas, de 60 polegadas –, um projetor e um laptop, no balanço inicial feito pela FUP. Contudo, vários outros equipamentos eletrônicos que estavam na sede foram deixados no local. Os invasores também levaram o filtro de água que estava instalado na copa. Algumas salas com equipamentos eletrônicos permaneceram intocadas, aparentemente. 

A FUP ainda irá avaliar a relação dos documentos arquivados na sede, para verificar se algum deles desapareceu. A entidade já solicitou à administração do edifício as gravações das câmeras de segurança. 

Desde março de 2020, quando foi decretada a pandemia de Covid-19 e anunciadas as primeiras medidas de restrição da circulação de pessoas para evitar a disseminação da doença, trabalhadores e trabalhadoras da sede da FUP e sua Diretoria Executiva estão exercendo suas atividades de forma remota. De uma a duas vezes por mês, é feita uma visita à sede para verificar o estado das instalações. 

O edifício que abriga a sede da FUP dispõe de serviço de portaria e o acesso ao prédio é interrompido a partir das 19 horas.

Última modificação em Sexta, 28 Maio 2021 19:27
Publicado em Movimentos Sociais

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.