Confira a programação do 35º Congresso do Sindipetro MG, que começa nesta quarta

Quarta, 14 Julho 2021 16:56

Com os objetivos de apresentar um balanço da atuação do sindicato no último ano e discutir as demandas atuais da categoria, o congresso será todo em formato on line, para garantir os cuidados com a saúde devido à pandemia. 

A abertura está prevista para o dia 14, 18h, com uma cerimônia que contará com a presença de parceiras e parceiros da luta em defesa dos trabalhadores e da Petrobrás. 

Entre os confirmados estão o deputado federal Rogério Correia (PT), a deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT), Soniamara Maranho, pela Frente Brasil Popular, Paulinha Silva, da União Nacional dos Estudantes (UNE), Jairo Nogueira Filho, presidente da CUT Minas, Cibele Vieira, da FUP, Eduardo Henrique da FNP, Rosângela Buzanelli, representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobras, Juliane Furno, doutora em desenvolvimento econômico na Unicamp e Aldiério Florêncio, da CSP-Conlutas.

Quinta-feira 

No dia 15, também a partir das 18h, será realizada a mesa “A seguridade social dos petroleiros e petroleiras – a situação atual da AMS e da Petros”. 

Cada convidado terá 15 minutos de fala, depois acontece o debate e perguntas. Entre os confirmados, estão Cloviomar Cararine, do Dieese, Paulo César Martin, do Sindipetro Bahia e da FUP, Agnelson Camilo, da FNP e Caio Marcondes, advogado do Sindipetro MG. 

Sexta-feira

Com o tema “Petrobrás fica! A luta contra as privatizações”, a mesa começa às 18h e fará um balanço das lutas (RLAM, PBio) e também apontamentos para o futuro. Os confirmados são Deyvid Bacelar, coordenador geral da FUP, Carla Ferreira (pesquisadora integrante do INEEP), Gustavo Machado,  da coordenação do ILAESE , Ângelo Remédio, advogado na Advocacia Garcez e doutorando em ciência política na UERJ e Felipe Pinheiro, diretor do Sindipetro-MG e coordenador do Comitê Mineiro em defesa do sistema Petrobrás. 

Sábado

No dia 17, a programação começa às 9h, com a mesa “O chão de fábrica dos petroleiros e petroleiras: como estão as condições de trabalho em Minas Gerais”. Os temas discutidos serão a pandemia, os acidentes de trabalho; terceirização; efetivo e nº mínimo; tabela de turno; teletrabalho e outros. Na mesa, os diretores Marcelo Maia, Guilherme Alves, Alas Castro, Alexandre Finamori, Dagoberto, Felipe Pinheiro e Caio Marcondes.

Em seguida, será realizada a plenária final, com a aprovação de moções, eleição de delegados para a plenária da FUP e outros atos necessários.

[Da imprensa do Sindipetro MG]

Última modificação em Sexta, 06 Agosto 2021 12:25

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.