IX Plenafup aprova propostas para um novo modelo energético e ampliação da representação sindical

Domingo, 15 Agosto 2021 17:40

Plenária foi realizada de forma virtual, entre os dias 12 e 15, com participação de cerca de 150 petroleiros e petroleiras em cinco mesas temática e trabalhos em grupo

[Imprensa da FUP]

Com participação de cerca de 150 petroleiros e petroleiras de norte ao sul do país, foi encerrada neste domingo, 15, a IX Plenária Nacional da FUP, que, ao longo dos últimos quatro dias, realizou debates estratégicos para a luta em defesa da soberania nacional e da democracia. Com o tema “Energia para reconstruir o Brasil”, o evento ocorreu de forma virtual, devido à pandemia da Covid-19, com a maior parte das atividades realizadas em salas fechadas de videoconferência.

A plenária aprovou um conjunto de propostas para um novo modelo energético, que garanta o abastecimento nacional, com preços justos para a população, transição para fontes limpas de energia e que tenha como eixo a reconstrução da Petrobrás como empresa pública, integrada e motora do desenvolvimento nacional. Entre as principais deliberações, estão a interrupção imediata dos leilões de petróleo e das privatizações e a retomada do controle acionário da empresa pelo Estado rasileiro.

Veja aqui todas as notíticas da IX Plenafup

Ampliação da representação sindical

A plenária também discutiu temas estruturantes para a organização sindical da categoria petroleira, no enfrentamento à precarização das condições de trabalho decorrentes do processo de desmonte do Sistema Petrobras. As deliberações apontam para a ampliação da representação dos trabalhadores terceirizados e de operadoras privadas de petróleo, na busca pela construção de uma convenção coletiva para todo o setor petróleo, envolvendo tanto os trabalhadores da Petrobrás, quanto do setor privado. O fortalecimento das pautas LGBTQIA+ e da luta sindical contra todas as formas de opressão também tiveram papel de destaca nos debates da IX Plenafup.


Leia também: 

Reconfiguração do setor energético impõe novos desafios ao movimento sindical

A luta pelo respeito à diversidade deve ser uma constante, afirmam palestrantes


Resistência nas ruas e nas urnas

“A reconstrução da Petrobras só será possível com a derrota do projeto genocida e fascista do governo Bolsonaro e seus aliados. Nossa resistência tem que ser nas ruas e nas urnas, em 2022. Para isso, temos que continuar o nosso enfrentamento diário ao desmonte do Sistema Petrobrás, resistindo aos ataques e fazendo a disputa nas ruas, com uma agenda unitária de luta, com as categorias que estão sofrendo com o desmonte do patrimônio público, de forma a envolver todos os setores organizados da classe trabalhadora na defesa da democracia e na luta pela reconstrução do país”, afirmou o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar.


Leia também: 

Lula afirma aos petroleiros que o Brasil voltará a ser um país soberano

Disputa ideológica e eleições estão no centro da luta contra as privatizações


Acordo Coletivo

A Plenafup não discutiu temas relacionados à campanha reivindicatória, pois o Acordo Coletivo de Trabalho negociado ano passado com a Petrobrás tem validade até agosto de 2022. No entanto, em função dos graves ataques que os trabalhadores vêm enfrentando em plena pandemia da Covid-19, questões como saúde e segurança, regimes e jornadas de trabalho, AMS e Petros tiveram grupos de trabalho específicos, que deliberaram sobre propostas e encaminhamentos feitos pela categoria nos congressos regionais.


Leia também: 

Reconfiguração do trabalho exige transformações na organização sindical, avaliam pesquisadores


As deliberações da IX Plenária Nacional da FUP serão sistematizadas e divulgadas ao longo dos próximos dias.

 

 

Última modificação em Domingo, 15 Agosto 2021 18:17
Publicado em IX PlenaFUP

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.