Os trabalhadores da Manserv, prestadora de serviços de manutenção na Recap, em Mauá, decidiram encerrar, na manhã desta segunda-feira (03), a greve que já durava 40 dias. Em assembleia na porta da refinaria, os mais de 200 terceirizados aprovaram a nova proposta da empresa, que concede reajuste salarial de 2,5% e vale-alimentação de R$ 485, retroativos a 1º dia maio, data base da categoria.

A Manserv também se comprometeu a abonar 75% dos dias parados, com adicional de periculosidade, e descontar o restante em duas vezes (setembro e outubro). A empresa prometeu ainda estabilidade no emprego de 60 dias e pagar o salário de agosto nesta terça-feira (04), caso os empregados retornassem hoje cedo ao trabalho.

Para o coordenador da Regional Mauá do Sindicato, Auzélio Alves, foi uma grande batalha travada pelos trabalhadores terceirizados e que teve empenho importante de diretores de base do Unificado e petroleiros aposentados e da ativa.
“Foram dias de luta e resistência por melhores condições de trabalho e salário. Os trabalhadores da Manserv retornam às atividades com o sentimento de que todos esses dias de luta valeram a pena, para a conquista dos avanços no acordo coletivo”, afirmou Auzélio.

Solidariedade

Desde o início da greve, os terceirizados contaram o apoio do Unificado. A direção sindical participou das manifestações, realizadas na porta da Recap, e promoveu uma campanha de arrecadação de cestas básicas, para serem doadas aos trabalhadores, que passaram o mês de agosto sem receber o salário.

A campanha foi um sucesso, com a participação de muitos petroleiros e dezenas de cestas arrecadadas, que foram distribuídas na manhã desta segunda-feira (03). “Agradecemos a todos os petroleiros que se solidarizaram com a causa e ajudaram nossos companheiros. A união e a solidariedade fazem parte da história de lutas e conquistas da nossa categoria”, destacou o dirigente.

[Via Sindipetro Unificado de São Paulo]

Publicado em Setor Privado

Os trabalhadores da empresa Manserv, que que atuam no setores de montagem e manutenção da Refinaria de Capuava (Recap), em Mauá (SP), continuam em GREVE há mais de 30 dias. Eles lutam por melhores condições de trabalho e para que suas reivindicações de negociação do Acordo coletivo de trabalho sejam aceitas.

A greve foi iniciada no dia 26 de julho e atinge a totalidade dos 220 trabalhadores, segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário em Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra (Construmob).

Na quarta-feira (29/08), o Sindipetro Unificado de SP e o Construmob iniciaram uma campanha de arrecadação de CESTAS BÁSICAS para distribuir aos trabalhadores em greve.

Várias lideranças sindicais deram apoio na porta da refinaria, em um ato de solidariedade e de mobilização.

[Com informações do Sindipetro Unificado de SP]

Publicado em Setor Privado

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram