Sindipetro PR e SC e Sindiquímica PR promovem visita ao Assentamento Contestado, na Lapa, onde aconteceu a 1ª Plenária Nacional da FUP, evento que consolidou a união de petroleiros e trabalhadores rurais.

Relembrar um momento importante da história da categoria petroleira, na qual se consolidou a união com os trabalhadores rurais, e ainda em um clima de amizade, aprendizado e solidariedade.

É isso que vai acontecer na visita guiada ao Assentamento Contestado, na cidade da Lapa (70km de Curitiba), que o Sindipetro Paraná e Santa Catarina e Sindiquímica PR organizam para o dia 27 de julho. Foi lá que, em 2009, aconteceu a 1ª Plenária Nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e a visitação também lembrará a passagem dos 10 anos desse importante evento.

O assentamento abriga a Escola Latino-Americana de Agroecologia (ELAA), iniciativa do MST junto à Via Campesina, que há quatorze anos recebe pessoas de todo o continente para que possam aprender e disseminar a agroecologia. A Escola forma tecnólogos em parceria com o Instituto Federal do Paraná (IFPR) e também oferece o curso de licenciatura em educação do campo, ciências da natureza e agroecologia.   

A programação conta com vários momentos legais, incluindo alimentação saborosa do campo, tudo de produção local e agroecológica. Haverá ainda recreação infantil e venda de produtos.

A iniciativa do Sindipetro PR e SC e do Sindiquímica PR tem o intuito de estreitar ainda mais os laços da cidade com o campo, então, fique à vontade para convidar amigos e familiares para um passeio diferente e enriquecedor. As vagas são limitadas, portando, inscreve-se logo. Nos vemos por lá!

 :: Informações

10 anos da 1ª PLENAFUP: Visita ao Assentamento Contestado – Lapa-PR

Data: 27 de julho de 2019

Saída do ônibus: 08h00, da Sede do Sindipetro PR e SC - Retorno: 18h00

Valor: R$ 30,00 (incluindo café da manhã, almoço e café da tarde)

Crianças de até 10 anos não pagam e de 11 a 16 paga meia

Confirmar presença até 23/07 com Liliane pelo telefone (41) 3332-4554 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. (informar nome, idade e se usará condução do Sindicato até a Lapa)

[Via Sindipetro-PR/SC]

Publicado em Cidadania

Nesta sexta-feira, 10/08, os trabalhadores brasileiros irão paralisar suas atividades e voltarão às ruas para exigir um basta. Basta de desemprego. Basta de fome. Basta de retirada de direitos. Basta de precarização. Basta de privatizações. Basta de desmonte das políticas sociais. Basta de aumento dos combustíveis. Basta de desindustrialização. Basta de ataques contra a democracia. Basta de injustiças. Basta de golpe.

Os petroleiros, que seguem resistindo à privatização do Sistema Petrobrás, à entrega do Pré-Sal e às tentativas de retirada de direitos, aprofundarão a luta contra o golpe, fortalecendo as mobilizações desta sexta e do próximo dia 15, quando os movimentos sindicais e sociais farão uma grande mobilização em Brasília para garantir o registro da candidatura de Lula à Presidência. 

VII Plenária Nacional da FUP, realizada entre os dias 01 e 05 de agosto, deliberou pela massiva participação dos petroleiros nos atos e mobilizações do Dia do Basta e apontou que uma das lutas centrais da categoria deve ser a eleição de Lula e de um congresso representativo dos trabalhadores. 

Nesta sexta, portanto, os petroleiros estarão de novo na luta, participando das paralisações, atrasos e atos nas unidades do Sistema Petrobrás e nas mobilizações de rua, convocadas pelas centrais sindicais e pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

fup-basta
cards-dia-do-basta3
cards-dia-do-basta4
cards-dia-do-basta1
cards-dia-do-basta2

[FUP]

Publicado em Movimentos Sociais

Com participação de cerca de 200 petroleiras e petroleiros, terminou neste domingo (05), no Rio de Janeiro, a VII Plenária Nacional da FUP, que deliberou sobre questões fundamentais para a categoria. Além de definir um amplo calendário de lutas contra a privatização do Sistema Petrobras e a entrega do Pré-Sal, a Plenafup apontou uma série de encaminhamentos para preservar direitos dos trabalhadores e impedir o desmonte de conquistas históricas, como a Petros, AMS e o Acordo Coletivo.

Trabalhador vota em trabalhador

A VII Plenafup também deliberou que uma das lutas centrais dos petroleiros deve ser a eleição de Lula e de um congresso representativo dos trabalhadores. A plenária aprovou por unanimidade o apoio às candidaturas de petroleiros para ampliar a defesa do Sistema Petrobras e do Pré-Sal como alicerces da retomada do projeto popular e democrático de soberania e desenvolvimento nacional.

Planos de luta

A direção da FUP permanece no Rio de Janeiro, onde reúne-se nesta segunda-feira (06) para operacionalizar as resoluções da plenária e definir ações para implementar o calendário de lutas aprovado.

 [FUP]

Publicado em VII PlenaFUP

A primeira mesa de debates do 11º Congresso Regional dos Petroleiros sobre a conjuntura do setor petróleo, mostrou que o desgaste da Petrobrás provocado pela Operação Lava Jato é apenas a parte mais aparente de uma disputa muito maior envolvendo a empresa e os interesses internacionais no pré-sal. 

Foram debatedores a coordenadora do Sindipetro Unificado-SP e diretora da CNRQ, Cibele Vieira, e o diretor da FUP, da CTB e do Sindipetro-AM, Ademir Caetano. A mesa foi moderada pelos diretores do Sindipetro-NF Marcelo Nunes e Wilson Reis.

Cibele avalia que a queda no valor do barril do petróleo é uma política deliberada para prejudicar países que têm mantido posicionamentos contrários aos Estados Unidos, mesmo sendo estes também prejudicados, na área do xisto, pela redução do preço. "Os EUA perdem no xisto, mas lucram na economia como um todo, pois são os maiores consumidores de petróleo do mundo", afirma. Segundo ela, os mais atingidos são a Russia, a Venezuela e o Irã.

Neste cenário, o Brasil, que atualmente é o 12º maior produtor de petróleo do mundo, deverá chegar a 5º ou 4º nas próximas décadas, atingindo um novo patamar na geopolítica do setor. Isso, para a expositora, desperta o interesse internacional no pré-sal e provoca a articulação de ataques ao País e à Petrobrás.

"Querem nos fazer pensar que as ações da Petrobrás caíram por causa da Operação Lava Jato, mas elas foram muito mais impactadas por este cenário de disputa internacional", disse a sindicalista.

Além da disputa específica pelo petróleo, ela também lembrou a reação americana à formação dos Brics, bloco de países formados por Brasil, Rússia, Índia e China, que alteram as relações de poder no mundo.

A disputa pelo pre-sal, assim como a contestação conservadora ao regime de partilha, também foram aspectos destacados por Caetano, que lembrou que os maiores consumidores de petróleo no mundo, que são alguns dos países mais desenvolvidos da Europa e os Estados Unidos, não produzem ou não são autossuficientes na produção do produto.

Ele também avalia que uma mudança de posição da Rússia em relação ao tema contribuiu para o acirramento da disputa no setor, por meio da pressão pela desvalorização do preço do barril. "Depois da queda do muro de Berlim, a Rússia se aproximou dos Estados Unidos, mas, mais recentemente, tem assumido posições mais autônomas, como mostra com a participação nos Brics", avalia.

Assim como Cibele, o sindicalista destacou que o Brasil está se tornando um ator mundial cada vez mais importante na área do petróleo, e que esta relevância está por trás dos ataques à Petrobrás. "O Brasil vai para a primeira divisão do campeonato mundial do petróleo", ilustrou Caetano.

O Congrenf começou nessa segunda (1) e se encerra amanhã com a Eleição dos delegados para a Plenafup 2015.

Fonte: Sindipetronf

Publicado em SINDIPETRO-NF
Segunda, 01 Junho 2015 16:32

Congresso aprova pauta para Plenafup

O Unificado realizou, neste sábado (30.05), seu Congresso Estadual e definiu a pauta que levará para discussão na Plenafup, que acontece entre os dias 1 e 5 de julho, em Guararema. O congresso foi realizado na Regional São Paulo e contou com a participação da direção do Sindicato, militantes e trabalhadores de base.

A construção da pauta teve participação ativa dos trabalhadores. O Sindicato havia solicitado aos trabalhadores que enviassem sugestões de temas que consideravam importantes para a categoria. Várias propostas foram apresentadas e apreciadas no congresso e os temas aprovados serão encaminhados para a Plenafup.

A Plenária Nacional da FUP define os pontos que serão contemplados na campanha reivindicatória da categoria, no mês de setembro.

Recomposição da diretoria - Os companheiros Rogério Santa Rosa, Luizão e Jonatha (Magrão) se desligaram da direção do Unificado. A recomposição da diretoria ocorrerá após o Seminário Anual de Planejamento, programado para o início do segundo semestre.

O IV Congresso dos Petroleiros da Bahia, que aconteceu nos dias 29 e 30 de maio, no Hotel Sol Bahia Atlântico, contou com a participação de 173 delegados, sendo que 20% de mulheres, além de 11 observadores. O Congresso teve como destaques as discussões políticas e a formação através de mesas temáticas que abordaram assuntos que estão na ordem do dia como a defesa da Petrobrás e da democracia, a reforma política e os direitos dos trabalhadores.
 
 
Outro ponto alto foi a análise das propostas que devem faze parte da pauta de reivindicações a ser entregue à Petrobrás. Para agilizar e organizar os trabalhos, os delegados foram divididos em seis grupos, cada um tratando sobre um determinado capítulo do ACT. As discussões foram intensas, e de acordo com os participantes, muito proveitosas.
Todas as teses discutidas nos grupos foram aprovadas no Plenário e serão encaminhadas para a V Plenafup.
Uma das principais resoluções para a categoria foi a inclusão nas pautas de reivindicações de todas as empresas do Setor Petróleo de uma cláusula que proíba a terceirização nas suas atividades principais e permanentes. E também estabelecer em cláusula, nos Acordos Coletivos de todas as empresas do Setor Petróleo, o Ministério Público do Trabalho, estadual ou federal, como o foro adequado, para definir quais são as atividades principais e permanentes das empresas que não poderão ser terceirizadas, caso haja impasse.
 
Principais resoluções
 
- 5% de ganho real, mais a inflação do ICV- DIEESE
- Busca pela equalização dos direitos dos anistiados
- Enquadramento de atividades em regimes especiais de trabalho
-  Criação do Comitê Gestor da AMS
- Discussão  no Comitê Gestor da unificação de todas as tabelas da AMS numa única tabela com desconto fixo mensal para cobertura de todos os procedimentos do Programa
- Manutenção do benefício educacional até o último nível de ensino- jovem universitário- no caso da aposentadoria ou falecimento do empregado (a)
- tentativas de fixação de efetivo mínimo nas unidades por questões de segurança
- Manutenção dos adicionais quando do deslocamento do funcionário para regimes ou locais diferenciados
- Anistia com reparação para os companheiros da histórica greve de 1983 (RLAM/REPLAN)
- Funcionários em disponibilidade, serão deslocados através de solicitação, por um período de 12 meses de adaptação.
- Promoção automática de pleno para sênior, quando o atingir o último nível 
- Garantir, via cláusula, nos Acordos Coletivos de todas as empresas do Setor Petróleo, a implantação de Comitê ou Comissão paritária, formada por representantes das empresas e da FUP/ Sindicatos, para definir quais são as atividades principais e permanentes das empresas não poderão ser terceirizadas.
- Estabelecer em cláusula, nos Acordos Coletivos de todas as empresas do Setor Petróleo, o Ministério Público do Trabalho, estadual ou federal, como o foro adequado, para definir quais são as atividades principais e permanentes das empresas que não poderão ser terceirizadas, caso haja impasse no Comitê ou Comissão proposto (a) no item anterior.
- Definir essas cláusulas como prioritárias e condicionantes na negociação e aprovação dos Acordos Coletivos de todas as empresas do Setor Petróleo.
- Realizar Greve Geral e unificada dos trabalhadores de todas as empresas do Setor Petróleo para garantir a implantação das presentes cláusulas proposta nos itens anteriores.
- Fim do uso de substâncias Tóxicas e Cancerígenas.
- Regimes de trabalho para parada de manutenção programada.
- Revisão dos exames periódicos complementares.
- Inclusão de alimentação saudável adquirida em cooperativas da agricultura camponesa e familiar.
- CIPA com mandato de dois anos.
- Participação do sindicato e CIPA no sorteio aleatório das pessoas do GHE a serem monitoradas.
- Implantação de programa específico de combate ao assédio moral.
- Campanha nacional a favor da Quinta Turma.
- Piso salarial igual ao do trabalhador da Petrobrás.
- Assistência médica e odontológica igual a praticada pela Petrobrás.
- Segurança alimentar com implantação do auxílio alimentação nos mesmos moldes da Petrobrás.
 
Fonte: Sindipetroba
Publicado em SINDIPETRO-BA

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram