Com transmissão ao vivo através da página do facebook do Sindipetro Bahia, começou, nessa segunda-feira (10) por volta das 9h30, a apuração dos votos das eleições da entidade sindical para escolha da diretoria que ficará à frente do sindicato no quadriênio 2020/2024.

Após constatar que o quórum de 33% + 1 dos associados aptos a votar foi alcançado, a comissão eleitoral abriu a sala lacrada onde estavam guardadas as 32 urnas recolhidas dos vários locais de votação na capital e interior do estado.

Em seguida, deu-se inicio à contagem dos votos.  A chapa única denominada Unidade, Luta e Resistência, foi eleita com 3.309 votos. Foram computados 23 votos em  branco e 20 votos nulos. O total de votantes foi de 3.352 petroleiros.

Os membros da Comissão eleita pela categoria agradeceram a participação dos mesários, escrutinadores e funcionários do Sindipetro Bahia que trabalharam para que a eleição transcorresse de forma organizada.

Eles também ressaltaram a transparência do pleito, parabenizando ainda a categoria petroleira que “percebeu a importância de participar das eleições, fortalecendo e legitimando o seu sindicato, em um momento em que há perigo iminente de perda de direitos, demissões e privatização do Sistema Petrobras”.

A diretoria eleita tomará posse em julho, mês em que acaba o mandato da atual diretoria. 

Clique aqui para ver a planilha com o resultado final da eleição

[Sindipetro Bahia]

Publicado em SINDIPETRO-BA

Às vésperas da eleição para renovação da diretoria do Sindipetro Ceará/Piauí, a oposição tentou, mais uma vez, desrespeitar a democracia e a autonomia sindical, tentando no tapetão impedir a votação, que começa nesta quarta-feira, 15.  

Impugnada por unanimidade pela Comissão Eleitoral, por descumprir o Estatuto do Sindipetro, ao apresentar documentação incompleta e candidato que não é filiado à entidade, a Chapa 2 recorreu à Justiça do Trabalho para suspender a eleição e teve o recurso negado.

O juiz da 17ª Vara do Trabalho de Fortaleza foi veemente em sua decisão: “A presente insurgência não se baseia no fato de que a documentação foi apresentada conforme determinado pelo Estatuto, mas sob o argumento de que não recebeu nova oportunidade para complementação dos documentos necessários. Ora, não havendo previsão específica para tanto no Estatuto, e considerando que agiu de modo razoável a Comissão Eleitoral, não se vislumbra robustez suficiente para determinar a suspensão do pleito, bem como para garantir a participação da Chapa ora pleiteante”.

Apesar da tentativa de golpe da oposição, a eleição está mantida e a FUP convoca todos os petroleiros e petroleiras sindicalizados a referendarem a Chapa 1 - União, Trabalho e Luta, comparecendo às urnas nos dias 15, 16 e 17 de Janeiro.

Ao contrário dos integrantes da Chapa 2, que agem de forma irresponsável e leviana, tentando desqualificar as organizações sindicais e dividindo a categoria, a FUP buscou, junto com o Sindipetro-CE/PI, a construção de uma chapa unitária para fortalecer os trabalhadores nos enfrentamentos aos graves ataques do atual governo e dos entreguistas da Petrobrás. No entanto, não houve acordo por parte da oposição.

O momento que a classe trabalhadora brasileira está vivendo é extremamente grave e exige uma atuação sindical à altura dos desafios que estão postos. Fazemos, portanto, um chamado aos petroleiros e petroleiras do Ceará para que fortaleçam a unidade nacional da categoria nesse momento em que enfrentamos o maior ataque já visto contra o Sistema Petrobrás e os direitos dos trabalhadores.  

Participem da eleição e referendem a Chapa 1 - União, Trabalho e Luta.

[FUP]

Publicado em Movimentos Sociais

As eleições do Sindipetro CE/PI ocorrem dias 15, 16 e 17 de Janeiro, com uma única chapa concorrendo ao pleito 2020-2023

Foi solicitada inscrição de uma segunda chapa, porém, por descumprimento do Estatuto, tiveram recusa da comissão eleitoral. A chapa recorreu e após a manutenção do indeferimento, um componente da chapa ingressou com ação judicial com pedido de liminar na Justiça do Trabalho, mas teve o pedido de tutela de urgência totalmente negado na manhã desta terça.

Segundo o magistrado responsável pela análise, o Juiz Fabricio Augusto Bezerra e Silva, da 17a Vara do Trabalho de Fortaleza, ao decidir sobre o pedido apresentado pelo integrante da Chapa 2, registrou que “A presente insurgência não se baseia no fato de que a documentação foi apresentada conforme determinado pelo Estatuto, mas sob o argumento de que não recebeu nova oportunidade para complementação dos documentos necessários. Ora, não havendo previsão específica para tanto no Estatuto, e considerando que agiu de modo razoável a Comissão Eleitoral, não se vislumbra robustez suficiente para determinar a suspensão do pleito, bem como para garantir a participação da Chapa ora pleiteante”, disse.

E conclui, “Deve, por ora, prosseguir regularmente o processo sem qualquer determinação de obrigação de fazer em sede de tutela de urgência.”

Confira a decisão na íntegra AQUI. 

[Via Sindipetro-CE/PI]

Publicado em SINDIPETRO-CE

O Sindipetro Ceará/Piauí está em processo eleitoral para escolha da nova diretoria. A FUP manifesta apoio à Chapa 1 -  União, Trabalho e Luta – e repudia, veementemente, os ataques da Chapa 2, impugnada pela Comissão Eleitoral por descumprir o estatuto do sindicato.

Além de ter candidato não filiado ao Sindipetro-CE/PI, a Chapa 2 não cumpriu as exigências estatutárias, ao fazer o registro com documentação incompleta. Por unanimidade, a Comissão Eleitoral impugnou a candidatura, mas, para tumultuar o processo, a Chapa 2 está tentando desqualificar a eleição.

A FUP reafirma a legalidade do processo eleitoral e convoca os trabalhadores sindicalizados a votarem em massa na Chapa 1, que tem à frente o atual presidente do Sindipetro, José Jorge Oliveira, que tem sido fundamental nas lutas em defesa da categoria.

Os companheiros que integram a Chapa 1 têm sido importantíssimos nos enfrentamentos contra o desmonte e a privatização da Petrobrás, que resultaram na construção da Frente Parlamentar Cearense, ampliando a luta em defesa da empresa nacionalmente e também no âmbito estadual.

A atual gestão do Sindipetro-CE/PI também foi fundamental na luta contra o Plano de Equacionamento da Petros, o PED assassino, e na defesa dos direitos e dos empregos dos petroleiros. Temos certeza de que essas lutas se ampliarão com a reeleição dos companheiros.

Junto com a FUP, o Sindipetro-CE/PI ainda tentou construir uma chapa unitária para fortalecer a entidade nos enfrentamentos aos graves ataques do atual governo e dos entreguistas da Petrobrás, mas não foi esse o entendimento da oposição.

A direção da FUP defende incondicionalmente a escolha democrática dos representantes sindicais, respeita e entende a importância das oposições nesse processo, mas não pode compactuar com o descumprimento do estatuto do sindicato.

Fazemos, portanto, um chamado aos petroleiros do Ceará para que fortaleçam a nossa organização sindical nesse momento em que enfrentamos o maior ataque já visto contra o Sistema Petrobrás e os direitos dos trabalhadores.  

Mais do que nunca, é fundamental que tenhamos sindicatos atuantes, classistas e comprometidos com a defesa da soberania, da democracia e das conquistas da classe trabalhadora.

Vote Chapa 1 - União, Trabalho e Luta.

Federação Única dos Petroleiros - FUP

Publicado em Movimentos Sociais

Foi solicitada por seus respectivos representantes inscrição de duas chapas para concorrer às Eleições do Sindipetro CE/PI, Triênio 2020-2023. Conforme Ata da Comissão Eleitoral, a CHAPA 1 está completa e em conformidade com o artigo 58, incisos I e II do estatuto.

Ainda conforme a Ata, a CHAPA 2 está incompleta e em não conformidade com o artigo 58, incisos I e II, e artigo 66, inciso IV do Estatuto. Portanto, a CHAPA 1 está apta ao processo eleitoral enquanto que a CHAPA 2 teve seu registro indeferido pela Comissão Eleitoral.

A comissão abriu dois dias úteis para recurso das decisões tomadas na referida reunião.

A reunião foi realizada no dia 03/01, na sede do Sindipetro CE/PI e contou com as presença de Henrique Rabelo e João Cesar, membros da Comissão Eleitoral; além de Jorge Oliveira, representante da CHAPA 01; e Oriá Fernandes e Wagner Fernandes, representando a chapa 02. (Saiba mais)

Nesta terça-feira, 07/01), a comissão eleitoral divulgou nova ata sobre recurso apresentado pela chapa 2:

CONCLUSÃO: Diante do exposto, entende-se que o ato da recusa de juntada de novos documentos após o prazo estabelecido se deu em estrita obediência ao Estatuto Social do SINDIPETRO CE/PI, indo ao encontro do princípio da autonomia sindical, motivo pelo qual a Comissão Eleitoral do SINDIPETRO CE/PI – por unanimidade – conhece do recurso apresentado pelo senhor Wagner Fernandes Jacinto – representante da Chapa 2, uma vez que é tempestivo, e, no mérito, apresenta conclusão desfavorável, mantendo a recusa do registro da Chapa 2, uma vez que ausentes documentos essenciais ao requerimento de registro do senhor Antonio Lima Pereira Neto, integrante da Chapa 2, que não fez juntar os documentos exigidos no Art. 66, Inciso V, do Estatuto Social, uma vez que não apresentou a documentação prevista no Art. 58, Inciso II do Estatuto do SINDIPETRO CE/PI, quais sejam, cópia da carteira de trabalho, onde consta a qualificação civil, verso e anverso e o contrato de trabalho em vigor e demais documentos pessoais (cópia da identidade, cópia do CPF, último contracheque e comprovante de residência), fazendo juntar documentos de terceiros junto a sua ficha de qualificação.

Estavam presentes na reunião os três membros eleitos da comissão eleitoral, Paulo Roberto Gimenes, Henrique Rabelo e João Cesar.

CONFIRA O RECURSO DA CHAPA 2:

 [Via Sindipetro-CE/PI]

 

Publicado em Movimentos Sociais

Encerrado o prazo para inscrições de chapas para concorrer às eleições para renovação dos representantes que compõem o quadro diretivo do Sindipetro Bahia, foi inscrita uma chapa.

A chapa única denominada Unidade, Luta e Resistência, apresentou lista com 45 nomes de acordo com o determinado no Estatuto Social da Entidade.

A inscrição de apenas uma chapa para disputar o processo eleitoral da entidade pode ser um indicativo de unidade da categoria, mas que precisa ser legitimado nas urnas.

Portanto, de 02 a 09 de fevereiro, durante o primeiro escrutínio das eleições, é necessário que a categoria se mobilize e participe do pleito para que seja atingido o quórum de 33% + 1 dos associados aptos a votar.

Estamos passando por momentos muito difíceis, tendo que enfrentar uma conjuntura adversa para a classe trabalhadora. Os petroleiros já estão sendo vítimas da máquina de destruição do governo de extrema direita de Bolsonaro e a situação pode piorar se o sindicato não estiver fortalecido.

Portanto, fortalecer o sindicato, nesse momento, é legitimar a eleição, com a participação maciça dos petroleiros e petroleiras, diretos e terceirizados.

A partir de agora o processo eleitoral será coordenado pela comissão eleitoral, composta por três representantes eleitos pela categoria (Charliton Lima, Movam Figueiredo e Almir Bonfim), dois membros que serão indicados pela Chapa única e um representante da FUP.

 

Clique aqui para ver a relação com os nomes dos componentes da Chapa única Unidade, Luta e Resistência

Clique aqui para ver a ata de encerramento de registro de chapas que concorrerão às eleições de renovação do Plenário do Sistema Diretivo do mandato 2020/2024 do Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro) e registro de posse da comissão eleitoral

 

[Via Sindipetro-BA]

Publicado em Movimentos Sociais

Nota de agradecimento à categoria petroleira 

Finalizado o processo eleitoral, a Chapa 1 – Unidade Nacional, foi reeleita para a gestão do SINDIPETRO PE/PB. As votações foram finalizadas as 17h do dia 04/12 e as urnas seguiram para apuração, que foi finalizada as 22h.

A direção do SINDIPETRO PE/PB agradece a todos e todas os/as trabalhadores/as que compareceram às urnas e, mais uma vez, depositaram sua confiança na entidade que, ao longo dos últimos anos, vem lutando em defesa da categoria petroleira. Eleita para o quadriênio 2020-2024, a entidade vem, por meio desta nota, reafirmar seu compromisso com a luta e com a categoria, em defesa dos direitos, dos postos de trabalho e contra a privatização da Petrobras.

Vamos todos/as unidos/as, construir as lutas que virão.

Juntos/as somos fortes!

[Via Sindipetro-PE/PB]

Publicado em SINDIPETRO-PE/PB

Na última quarta-feira (08), foi concluído o processo eleitoral para a nova diretoria do Sindiquímica Paraná. Com participação de 80% dos associados, a chapa única Lula Livre foi eleita por unanimidade pelos trabalhadores.

O diretor do Sindiquímica, Gerson Castellano, ressalta que, apesar desta ser a quinta eleição consecutiva com chapa única, os trabalhadores não abrem mão da eleição, pois defendem incondicionalmente o processo democrático de escolha dos seus representantes. “Refutamos qualquer outra forma de referendo, seja por aclamação ou indicação que faça perpetuar as direções, sem eleições diretas”, ressaltou. Outro ponto destacado por Castellano é o nome da chapa “Lula Livre”, que reflete o total apoio da categoria ao ex-presidente Lula. “A categoria sabe a importância dessa bandeira, tanto que compareceu em massa à votação e elegeu a chapa por unanimidade”, afirmou.

A posse da nova diretoria do Sindiquímica Paraná será realizada no dia 14 de setembro e o mandato tem início no dia seguinte com o novo coordenador geral, Santiago da Silva Santos, à frente da entidade. Castellano destaca a importância da renovação, com grande participação dos jovens na direção e rodízio dos trabalhadores na Coordenação do sindicato. Ele lamenta a baixa participação feminina no quadro de associados, o que se reflete na diretoria da entidade. “Hoje temos apenas três petroquímicas filiadas. Sabemos que essa falta de aproximação com o sindicato se deve muito ao assédio que elas sofrem dentro da empresa, mas estamos trabalhando para mudar esse quadro”, afirmou.

A FUP parabeniza cada um dos petroquímicos e petroquímicas que priorizaram a luta e participaram da eleição, respeitando e fortalecendo a democracia sindical. Desde que teve início o processo eleitoral para renovação das diretorias dos sindicatos petroleiros, a categoria vem referendando nas urnas as chapas apoiadas pela FUP, o que comprova a importância de sindicatos atuantes, classistas e comprometidos com a defesa da soberania, da democracia e das conquistas da classe trabalhadora.

[FUP]

Publicado em Trabalho

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram