A abertura oficial do 34º Congresso Estadual dos Petroleiros de Minas Gerais terá início nesta sexta-feira, dia 26. Antes disso, haverá uma série de atividades relacionadas a partir de quarta-feira, dia 24, com a realização de “lives” temáticas, de forma a ampliar o debate sobre o contexto político, social e econômico pelo qual atravessa o Brasil e a Petrobrás.

Realizado pelo Sindipetro/MG, o Congresso é uma das principais instâncias de decisão da categoria, na qual é discutida, analisada e aprovada a pauta de reivindicação anual. Neste ano, a edição será toda on-line, devido à pandemia.

O Congresso também irá aprovar a pauta de reivindicações de 2020 para nosso ACT e eleger os delegados de Minas para o XVIII Congresso Nacional da FUP (CONFUP). Também terá mesas de debate específicas sobre Petros, AMS e Teletrabalho.

Abaixo, confira a programação:

  • Programação Extra – Debates de Conjuntura

24/06: LIVE – A luta política dos trabalhadores em tempos de pandemia

– Live (Face e Youtube), 19 horas

– Convidados: Olívia Carolino (Economista e pesquisadora – Instituto Tricontinental) e Bruno Pedralva (Médico – Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte)

– 25/06: LIVE – Crise do Petróleo, Privatização e Pandemia

– Live (Face e Youtube), 19 horas

– Convidados: Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Zé Eduardo Dutra (INEEP) e Escritório Advocacia Garcez 

  • 34° Congresso Estadual dos Petroleiros de Minas Gerais
  1. a) 26/06: Mesa de Abertura

– Sala Virtual via Google Meet

17h30 – Aprovação do Regimento Interno do Congresso

18h – Abertura com falas e saudações políticas

18h30 – Apresentação do DIEESE sobre os cenários para o ACT 2020 

  1. b) 27/06: Mesas de Debate e Plenária Final

– Salas virtuais via Google Meet

>> 09h (debates simultâneos):

# Mesa Virtual de Debate 1: Petros e AMS

# Mesa Virtual de Debate 2: Teletrabalho

>> 14h:

# Plenária Virtual Final:

– Definição da Pauta de Reivindicações 2020

– Aprovação de teses e moções

– Eleição de Delegados para o CONFUP

[Via Sindipetro-MG]

Publicado em 18 CONFUP

O Sindipetro/MG realiza na tarde desta segunda-feira (28) uma assembleia única com trabalhadores da Regap e Termelétrica Aureliano Chaves para assembleia única no dia 28 outubro para adiamento da greve iniciada no último dia 26, para reavaliação do movimento e apreciação da proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

A greve em Minas Gerais segue com cortes de rendição de 8 horas com avaliação contínua em cada troca de turno. Devido ao recuo de outras bases, apenas Minas Gerais segue em greve.

No último sábado (26), a diretoria do Sindicato foi comunicada pela empresa sobre uma Tutela Cautelar Antecedente emitida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). A decisão judicial exige uma lista de trabalhadores para a “equipe de referência” solicitada pela Petrobrás – o que exclui os trabalhadores em cargos de chefia.

Diante disso, a diretoria do Sindipetro/MG tem buscado a rendição controlada dos trabalhadores, viabilizando a entrada de trabalhadores mediante a saída de empregados retidos por mais de 16 horas.

Proposta TST

Além da assembleia para adiamento da greve, o Sindipetro/MG convocou assembleias entre os dias 29 de outubro e 1° de novembro para apreciação da proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) para o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) no último dia 25.

Nessa proposta, o Tribunal atendeu às reivindicações da FUP quanto ao:

– Reajuste da AMS pelo índice Variação do Custo Médico Hospitalar (VCMH), a partir de março de 2020, limitando em 30% a participação dos trabalhadores no custeio do plano.

– Garantir que a implantação do turno de 12h nas bases de terra seja feita somente mediante negociação regional entre a Petrobrás e os sindicatos.

– Limitar as horas extras a 2h por jornada; o excedente terá 50% pagos e o os outros 50% destinados ao banco de horas; criação de um Grupo de Trabalho Paritário para definir limites do banco de horas.

– Incorporação da cláusula que já consta no ACT da Transpetro sobre recolhimento e repasse das mensalidades sindicais.

Além disso, o ACT passará a ter validade para todas as subsidiárias da Petrobrás e também para a Araucária Nitrogenados.

[Via Sindipetro-MG]

Publicado em SINDIPETRO-MG

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram